Ativistas ganham direito de protestar em frente a pet shops que vendem animais


Por Helena Terra  (da Redação)

Foto: s/c

Uma corte de apelação em Los Angeles (EUA) deu a grupos de defensores de animais o direito de protestar pacificamente em frente a lojas que vendam filhotes de cachorro em shoppings perto de onde clientes possam os ver e ouvir.

Segundo informações do jornal SFGate, a defesa foi baseada na proteção constitucional da Califórnia que prevê a proteção à atividade política não perturbativa em shoppings privados.

A Constituição dos EUA proíbe apenas a interferência governamental na livre expressão.

Os tribunais estaduais ainda não decidiram os limites espaciais e temporais das manifestações em shoppings e alguns lugares já restringiram os protestos dos ativistas.

Parte da decisão foi baseada no entendimento que um shopping deve permitir protestos ao alcance audível e visual de um negócio alvo sempre que estiver aberto ao público. Podendo, no entanto proibir demonstrações em momentos e lugares em que não houver outra forma de prevenir a interrupção das operações normais do negócio.

Filhotes não são mercadorias.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AVANÇO

COMPORTAMENTO

'SAVE RALPH'

ÍNDIA

REVOLTA

AÇÃO SOCIAL

MÉXICO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>