Polícia apura novidades importantes no caso das capivaras do Lago do Café


(da Redação)

Polícia constata: necrópsia na capivara encontrada morta do Lago do Café tinha somente 5 carrapatos

A delegada de Defesa dos Animais de Campinas, Dra. Rosana Mortari, informou agora há pouco que o Termo Circunstanciado, equivalente ao Inquérito Policial, apurou informações importantes para o caso das capivaras acusadas da morte de pessoas por causa da febre maculosa.

Já foram ouvidas 3 pessoas, funcionários do Lago do Café e que trabalham diretamente com os animais. Eles informaram, por exemplo, que o confinamento, há dois anos, foi com o número de 20 capivaras. Mas não separaram machos e fêmeas. Ficaram juntos, embora digam que não tenha ocorrido procriação. Dessas 20, 5 morreram com o passar do tempo, algumas durante brigas.

Hoje, estão lá 13 capivaras. Isso mesmo, 13 capivaras e não “cerca de 20”, como diz a Secretaria de Saúde. Os funcionários afirmam que não há a menor possibilidade de fugirem. O cercado é perfeito. Logo, o controle também pode ser correto e permitir várias opções para tratamento, se as autoridades quiserem agir direito.

Agora a grande revelação: sexta-feira passada os investigadores da Delegacia de Defesa dos Animais encontraram uma capivara morta do lado de fora do confinamento. Portanto, não é uma das que foram apreendidas. O Instituto de Criminalística da Polícia levou a capivara para o Bosque dos Jequitibás, onde o veterinário Paulo Anselmo procedeu a necrópsia. Constatou-se que ela morreu de causa natural, seu fígado estava muito comprometido e ela era bem idosa. Vivia solta pelo parque.

Com a presença de peritos policiais, foram contados quantos carrapatos essa capivara tinha. Descobriram que eram apenas 5 carrapatos-fêmea. Somente 5, o que é nada dentro do universo do parque, o que comprova que o nível de infestação tecnicamente nem existe.

Com informações do Conselho Municipal de proteção e defesa dos animais de Campinas


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

FLORIANÓPOLIS (SC)

INOVAÇÃO

AMOR

ESTUDO

ÁFRICA DO SUL

CÂNCER DE PELE

CONSERVAÇÃO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

MAUS-TRATOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>