Professor de Direito da UFMG defende que os pit bulls sejam literalmente explodidos


(da Redação)

Clique na imagem para ver o vídeo.

Em vídeo de 2009, José Luis Borges Horta, professor da faculdade de direito da UFMG, é entrevistado de um programa de TV que teve como tema o controle de cães da raça pit bull, que teriam chips instalados para identificação de seus responsáveis.

O entrevistado confirma que a simples instalação de um chip não iria prevenir os ataques, mas que “o ideal seria que o chip tivesse um mecanismo de controle pelo qual, a cada momento que sobe a adrenalina do cão, ele toma um choque e, portanto, para de fazer o que ele tá fazendo, ou então ele explode, né, o que seria uma medida muito razoável.”

A justificativa de ser “razoável”? “Salva vidas.”

O vídeo pode ser visto aqui.

Nota da Redação: Mais uma vez os cães da raça pit bull são vítimas de preconceito. A opinião desse professor não foi só infeliz, como também incitou à violência que ele diz combater. Se ele deu alguma aula nessa entrevista, foi de como um título ou uma associação com universidade não são sinônimos de ética, consciência e compaixão.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DESMATAMENTO

BARBÁRIE

PRESSÃO INTERNACIONAL

INVOLUÇÃO

UNIÃO

PREVENÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>