Feliz ano novo e feliz ano do coelho!


No início de fevereiro comemorou-se o ano novo chinês. Este é o Ano do Coelho. Não sou chinesa. Então o que isso tem a ver comigo? Pois bem, como ativista, seguindo o calendário chinês, surgiu uma maneira de ajudar mais animais e expandir a minha compaixão para um animal que talvez não receba muita atenção.

Sete anos atrás, fiquei deprimida pensando em quantos animais sofrem a cada ano. Eu estava concentrando minha energia apenas em animais convertidos em comida. Como ativista, sempre recebo muitas cartas e e-mails de muitas ONGs que fazem ótimos trabalho, mas eu não podia doar dinheiro a todos e ficava muito frustrada. Como posso decidir qual ONG (e quais animais) receberá a minha ajuda e energia quando tantos sofrem?!? Resolvi, no começo daquele ano, em 2004, que eu daria mais apoio às ONGs que ajudam outros animais. Quando vi um artigo falando que aquele ano foi Ano do Macaco (2004), tive uma ideia: decidi que a cada ano, dependo do calendário chinês, eu “adotaria” um animal (ou grupos de animais) representado pelo animal do ano.

Neste que é o Ano do Coelho, resolvi fazer mais em nome dos coelhos. Por exemplo, posso doar para as ONGs que lutam para mudar as leis contra testes de animais (os coelhos são vítimas destes testes, especialmente com cosméticos). Também onde eu moro (nos EUA) tem uma ONG que ajuda animais selvagens (nos subúrbios, temos muitos esquilos e coelhos, que são encontrados nos jardins, ou que têm algum problema e precisam socorro médico, ou são abandonados quando alguém mata sua mãe ou são vítimas de gatos). Vou doar dinheiro porque esta ONG tem um hospital e reabilita os animais, incluindo os coelhos. Também posso trabalhar com grupos que querem educar a população para não caçar, porque muitos caçadores matam coelhos. Também a pele de animais incluindo do coelho é usada, infelizmente, em vestuário. Existe pele falsa, então quem quer estar “na moda” não precisa matar um animal para vestir-se. Este ano, resolvi fazer mais para educar a população sobre alternativas ao uso de peles de animais, que nunca devem ser consideradas “na moda”.

Não sei de que forma a industría agrícola usa coelhos, mas este vai ser o ano de aprender mais para que eu possa ajudá-los. Firmei um compromisso também com outras pessoas para que evitem o uso de coelhos nos testes de animais (pois sou vegana e não uso produtos que contêm derivados dos animais) no site: http://www.leapingbunnypledge.org/pledge.aspx

Este site fornece informações sobre empresas e produtos que são aprovados por serem “livres de crueldade” (não ter nem testes nem derivados dos animais). As empresas que fazem parte deste compromisso usam o símbolo do coelho.

Sería posível também fazer uma lista como essa para produtos brasileiros?

Firme o compromisso de sempre usar apenas produtos livres de crueldade e sem derivados de animais. Juntos podemos celebrar este ano do coelho como o ano de compaixão!


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

RECONHECIMENTO

PRESERVAÇÃO

VAQUINHA ON-LINE

FINAL FELIZ

LEALDADE

COMPROMISSO

ESPECIAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>