Guepardos asiáticos correm risco de extinção


Foto via Wikipedia

Em primeiro lugar, a antiga convicção de que os guepardos, em sua variedade, apresentam pequena variação genética parece ser falsa. Um estudo publicado em 8 de janeiro na Molecular Ecology revela que os guepardos asiáticos – especificamente do Irã – são uma subespécie que se separou do seus primos africanos entre 30 e 70 mil anos atrás. Os últimos 100 guepardos iranianos, agora batizados de A. jubatus venaticus, deveriam ser considerados como prioridades para preservação, explicam os autores.

“Estamos ficando sem tempo para salvar o guepardo asiático”, afirma Alireza Jourabchian, diretor do programa iraniano de conservação do guepardo asiático. “Temos tido sucesso em estabilizar os números no Irã, mas ainda temos um longo caminho até que possamos considerar que essa subespécie única esteja a salvo. Temos esperança de que essas novas descobertas atrairão ainda mais atenção para essa situação.”

Os guepardos que restam no Irã estão ameaçados pela caça de suas presas, a degradação do habitat e a caça.

Enquanto isso, as duas subespécies de guepardos africanos estão mais separadas geneticamente do que se acreditava anteriormente. Isso torna ainda mais difícil preservar os guepardos iranianos. Se fossem da mesma espécie ou subespécie, os felinos africanos poderiam ser levados à Ásia para renovar e expandir a população isolada dos felinos iranianos. No entanto, como os guepardos africanos e asiáticos são diferentes subespécies, devem permanecer puros para que seu material genético único seja preservado.

O novo estudo teve duração de cinco anos e também envolveu pesquisadores de diversos órgãos nacionais, universidades e grupos de preservação. Outra autora do trabalho, Antoinette Kotze, gerente de pesquisa e serviços científicos do National Zoological Gardens África do Sul, disse que esse foi um “longo e árduo projeto” que envolveu a coleta de amostras de DNA em ambiente natural, zoológicos e museus em oito países.

A Índia esta lentamente avançando em seu plano de reintroduzir os guepardos no país. O ministro indiano do Meio Ambiente escolheu dois locais para recolocá-los, mas a população local protestou alegando que os felinos poderiam representar perigo para as pessoas, o turismo e a indústria de petróleo. Mas R. K. Ranjitsinh, presidente do Fundo para a Vida Selvagem da Índia, discorda e disse que “levar os guepardos a Shahgarh Bulge não afetará o turismo ou a exploração de petróleo na região.” O plano original na Índia era buscar guepardos em diversos locais, incluindo o Irã, mas isso deve ser revisto agora que a nova subespécie foi reconhecida.

Fonte: Scientific American


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CONSERVAÇÃO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

MAUS-TRATOS

HABITATS DESTRUÍDOS

OMISSÃO

ECONOMIA CIRCULAR

DEDICAÇÃO

TECONOLOGIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>