Abusos com orca pelo SeaWorld são divulgados por ex-treinadores


Por Tiago Claus  (da Redação)

Dois ex-treinadores do SeaWorld divulgaram um relatório que inclui informações sobre o estresse que as baleias orca enfrentam em cativeiro – e que já levaram à morte pelo menos dois funcionários do SeaWorld.

Jeff Ventre, agora médico, e John Jett, agora professor de biologia, trabalharam no SeaWorld de Orlando e conheceram a treinadora Dawn Brancheau, que foi morta em fevereiro de 2010 pela Tilikum, uma orca frustada e estressada pelo confinamento.

Foto: abi skipp/cc by 2.0

Ao trabalharem com o Projeto Orca (The Orca Project, em inglês), eles documentaram os abusos, como confinamento em local muito pequeno, piscinas rasas, ausência de interação social, violência entre baleias e cuidado médico inadequado, e fizeram a associação entre as péssimas condições de vida das orcas que vivem em cativeiro e as reações violentas das baleias contra os humanos. De acordo com os cálculos de Ventre e Jett, a expectativa de vida de orcas confinadas é reduzida drasticamente: baleiras soltas, nos oceanos, vivem de 30 a 50 anos, enquanto as confinadas do SeaWorld vivem uma média de 9 anos.

É possível ler o relatório completo aqui (em inglês).


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CONSCIENTIZAÇÃO

SOLIDARIEDADE

NOVOS LARES

RIO CLARO (SP)

EXTINÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>