Cachorros têm paralisia após tomarem vacina em Campinas (SP)


Animais estão sofrendo de incontinência urinária e têm que ser carregados para fazerem suas necessidades

Isabel e as cachorras Bolinha e Estrela. Foto: Leandro Ferreira/AAN

Bolinha, nome carinhoso da labradora de 2 anos e meio, e Estrela, mistura de labrador com cocker, de 7 anos, não conseguem mais andar normalmente. Os cães estão com quadro de paralisia desde que foram vacinados contra a raiva, em dezembro, segundo a tutora dos animais, Isabel Cristina Ceccatto, de 39 anos.

“Estou extremamente preocupada com eles e com a nossa situação, porque agora temos que carregá-los para fazer as necessidades. Além disso, os dois estão sofrendo de incontinência urinária. Não sei se isso tem haver com a reação da vacina, mas achamos muita coincidência isso acontecer 48h depois da vacinação e com os dois”, disse Isabel.

A coordenadora da vigilância epidemiológica da Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa) de Campinas, Briginia Kemp, disse que hoje (10/01) vai ser feita uma investigação para avaliar o quadro dos animais e definir se existe uma relação com a imunização antirrábica. Até agora, esse é a único caso suspeito de reação à vacina.

“Vamos avaliar se já conhecemos ou não o caso e vamos fazer uma investigação. Se a gente já conhecer o fato, vamos ver o que aconteceu. Vamos entrar em contato com o veterinário particular da família para termos uma avaliação clínica dos animais e descobrir uma causa convincente”, afirmou.

No final do ano passado, foi realizada uma campanha promovida pela Secretaria de Saúde de Campinas para imunizar contra a raiva cães e gatos em Barão Geraldo. A campanha anual de vacinação antirrábica foi suspensa em 2010 pelo Ministério da Saúde devido ao alto índice de reações adversas graves registrado. Mas, devido à grande concentração de morcegos diagnosticados com raiva nos bairros Jardim América, Vila Independência, Santa Izabel e Vila Burato, foi providenciado outro produto e as equipes da Prefeitura vacinaram domiciliarmente os cães e gatos da região.

“Dois dias depois os cachorros começaram a perder os movimentos da parte de trás. Meu marido falou com o veterinário do Centro de Zoonoses explicando o caso e ele disse que a causa não estava ligada à vacina e que os dois apresentavam sintomas de cinomose (uma enfermidade causada por um vírus que afeta os aparelhos respiratório, gastrointestinal, e o sistema nervoso dos animais). Sem solução, procuramos nosso veterinário. Ele deu os primeiros socorros e hoje damos apenas vitaminas, como ele prescreveu. Mas os dois continuam com a dificuldade em andar. Queremos saber da Prefeitura se tem alguma solução ou providência para irmos atrás”, afirmou Isabel.

Fonte: Cosmo


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

INSPIRAÇÃO

DENÚNCIA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

RETROCESSO

RESPONSABILIDADE

SOLIDARIEDADE

MISSÃO

ACADEMIA ESPECISTA

SADISMO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>