Avaaz lança petição para salvar as abelhas


 

Fonte: Avaaz

Por Lobo Pasolini (da Redação)

Silenciosamente, bilhões de abelhas estão morrendo e criando uma ameaça para nossa cadeia alimentar. 90% das plantas que nós cultivamos para comer dependem da polinização feita pelas abelhas.

Vários estudos científicos culpam um grupo de pesticidas tóxicos por seu desaparecimento rápido, e populações de abelhas aumentaram muito em quatro países europeus que proibiram tais produtos.

Os cientistas estão quebrando a cabeça em busca de respostas. Alguns dizem que o declínio pode ser relacionado com fatores como doenças, perda de habitat e produtos químicos tóxicos.

Enquanto isso, empresas químicas poderosas estão fazendo um lobby pesado para continuar vendendo veneno.

Bayer, a grande culpada

Pesquisadores independentes estão produzindo fortes evidências que apontam para os pesticidas neonicotinoides. A França, Itália, Eslovênia e até mesmo a Alemanha, onde a Bayer está baseada, proibiram esses matadores de abelhas. Mas a Bayer continua a exportar seu veneno mundo a fora.

A questão agora está esquentando depois de novos estudos terem dimensionado a escala do problema. Se conseguirmos que autoridades europeias e americanas ajam, outros seguirão seu exemplo. Não vai ser fácil. Um documento vazado mostra que a agência ambiental americana EPA sabia dos perigos dos pesticidas mas os ignorou. O documento diz que o produto da Bayer “é uma grande preocupação de risco para insetos não alvos (abelhas de mel).”

A vida depende das abelhas

As abelhas são vitais para a vida na Terra. Sem ação imediata para salvá-las nós poderíamos acabar sem frutas, vegetais, castanhas, óleos e algodão.

Nos anos recentes tem ocorrido um declínio preocupante nas populações de abelhas. Algumas espécies se extinguiram e de algumas outras restaram apenas 4% das populações originais.

Clique no link que leva à petição para participar da campanha para salvar abelhas.

As informações são da Avaaz.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROTEÇÃO ANIMAL

INESPERADO

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>