Tutores abandonam animais em abrigos e agravam problema da superpopulação


Por Vanessa Perez  (da Redação)

A despeito dos obstáculos quase intransponíveis, a C.AT.S. – Caring about the Strays – continua a resgatar e abrigar cachorros e gatos abandonados. O local depende muito dos residentes na área para servir de lar para esses animais de companhia até que eles sejam adotados em lares permanentes. Devido a um aumento dramático no abandono de gatos e filhotes, mais lares adotivos são desesperadamente necessários.

Gato resgatado pela CATS

Foto: Reprodução/C.A.T.S.

Lynn Morchel, fundadora do CATS, disse: “O abandono de animais está em uma situação de crise.” A recessão econômica afetou muitos tutores de animais que chamaram a CATS porque eles querem entregar seus animais pois não podem mais sustentá-los ou precisam se mudar e não podem levar os animais com eles.  Morchel disse que houve um grande aumento no número de animais que são simplesmente abandonados por seus tutores. “Algumas pessoas sentem que abandonar seu gato lhes dá a chance de encontrar outra casa, mas a maioria não é resgatado e morre.

Temos tido um maior volume de chamadas este ano, de pessoas relatando que um gato, manso, magro ou ferido entrou em seu quintal. “Fazemos um grande esforço para encorajar as pessoas a alimentar animais adotáveis, assim a CATS fornece alimentos e outros materiais necessários para os cuidados dos animais para quem se habilita a ajudar.

Sem mais lares adotivos, CATS enfrenta a perspectiva de não poder mais ajudar animais que irão acabar em um abrigo lotado, a possível eutanásia, ou abandono. Morchel disse, “por ser a C.A.T.S. uma ONG contra a eutanásia, ou seja, que nós não eutanasiamos um animal saudável, estamos ficando sem espaço para mantê-los. – As pessoas se sentem seguras em dar os seus animais para nós, o problema é que sem mais lares esses animais terão de ser mandados embora.”

Para ilustrar a situação de animais abandonados e como C.A.T.S. e seus voluntários correm em seu socorro, Morchel contou essa história. “Na noite de Halloween, uma mulher e sua filha foram pedir doces e chegou um gato magro que roçava em suas pernas e permitiu que elas o acariciassem. Era óbvio que o gato estava abandonado e faminto. Ela perguntou na vizinhança se alguém era tutor do gato, mas ninguém era.” Quando ela voltou no o dia seguinte para tentar encontrá-lo, ela viu outro gato na mesma situação.

Morchel disse: “Ela então chamou algumas organizações e veterinários para ajudá-los, mas não teve sucesso. Então ela chamou a C.A.T.S e falou com nossa gerente, Anne Arzuz, e explicou a situação. Anne disse-lhe para pegar os gatos porque ela tinha um lar adotivo disponível para eles.” A mulher fez exatamente isso e a CATS pegou eles. “Donald é surdo e Kit-Kat é, provavelmente, cego de um olho. Como eles conseguiram sobreviver não sabemos, é um milagre. Donald está com insuficiência renal, mas muito confortável e agora vai ficar na C.A.T.S. para sempre. Kit-Kat está se virando muito bem e esperamos encontrar uma casa para ele em breve”, disse Morchel.

Foto: Reprodução/North Jersey

Em outro relato, a C.A.T.S. foi chamada por uma mulher que se viu incomodada com sete gatos e 13 filhotes. A chamada veio num momento oportuno. CATS e o pessoal da Franklin Lakes Animal Hospital estavam se unindo para uma campanha de castração. Todos os sete gatos adultos foram esterilizados na clínica e receberam tratamento para suas infecções.

Os gatinhos enfrentaram um desafio maior. Todos eles estavam doentes – com infecção nos olhos e respiratória – e estavam severamente desnutridos. Sabendo que a mulher não poderia cuidar deles, a CATS assumiu. Kim Carbone, diretor de adoção da ONG, os pegou e ficou chocado com o que viu. Alguns deles estavam tão subnutridos que mal conseguiam andar e as infecções dos olhos eram tão graves que alguns deles não conseguiam abrir os olhos. Um deles, que foi batizada de “Batman” foi trazido aos serviços de Oftalmologia Veterinária de NJ em Little Falls, onde foi necessária uma cirurgia para abrir os olhos e começar o tratamento, que consistiu em colírio quatro vezes por dia durante dois meses.

Como todos os gatinhos estavam desidratados, eles foram levados para o Hospital Animal Franklin Lakes, onde permaneceram por uma semana tomando soro.  Morchel disse: “Por todos os nossos lares estarem lotados, Kim chamou sua mãe, Maureen Cartier, para ajudar a alimentá-los e continuar com o tratamento. Devido a todos estes esforços, todos os 13 filhotes sobreviveram e agora estão saudáveis e prontos para irem para seus novos lares.”

Morchel disse: “Os custos estavam na casa dos milhares de dólares para esterilizar, vacinar, microchipar e medicar estes animais. Este é um exemplo de que as doações que recebemos são preciosas.” Mas as doações monetárias não são a única maneira de as pessoas ajudarem. Morchel disse: “Se mais pessoas se ofereceram para oferecer lar temporário apenas para um animal pequeno, muito mais vidas seriam poupadas. Tudo o que precisamos é de um quarto de hóspedes, escritório, garagem, porão quente -. Qualquer lugar quente o suficiente neste momento do ano para que os animais possam ser resgatados das ruas frias. CATS irá fornecer todos os alimentos e materiais, sem nenhum custo.”

As informações são do jornal North Jersey.

Nota da Redação: Se cada um de nós abrigasse um animal abandonado, a situação dos abrigos de animais seria menos desesperadora e estes poderiam auxiliar mais animais em situação de emergência. Não podemos transferir a responsabilidade que nos cabe. Façamos sempre o que estiver ao nosso alcance para ajudar outros seres, desta forma o mundo se tornará, aos poucos, um lugar melhor.

http://www.northjersey.com/news/112990564_Helping_homeless_and_helpless_animals.html

Ajudando animais abandonados e necessitados

POR BURGER KATHRYN

Westwood – a despeito dos obstáculos quase intransponíveis, C.AT.S. – Caring about the Strays – continua a resgatar e abrigar cachorros e gatos abandonados. O local depende muito dos residentes na área para servir de lar para esses animais de companhia até que eles sejam adotados em lares permanentes. Devido a um aumento dramático no abandono de gatos e filhotes, mais lares adotivos são desesperadamente necessários.

http://media.northjersey.com/images/KITKATCA_1230_CL_tif_.jpg

Gato resgatado pela CATS

Lynn Morchel, fundadora do CATS, disse: “O abandono de animais de estimação está em uma situação de crise.” A recessão econômica afetou muitos donos de animais que chamaram a CATS porque eles querem entregar seus animais porque eles não podem mais sustentá-los ou eles precisam se mudar e não podem levar os animais com eles. Morchel disse que houve um grande aumento no número de animais que são simplesmente abandonados por seus proprietários. “Algumas pessoas sentem que abandonar seu gato lhes dá a chance de encontrar outra casa, mas a maioria não são resgatados e morrem.

Temos tido um maior volume de chamadas este ano, de pessoas relatando que um gato, manso, magro ou ferido entrou em seu quintal. “Fazemos um grande esforço para encorajar as pessoas a alimentar animais adotáveis, assim a CATS fornece alimentos e outros materiais necessários para os cuidados dos animais para quem se habilita a ajudar.

Sem mais lares adotivos, CATS enfrenta a perspectiva de não poder mais ajudar animais que irão acabar em um abrigo lotado, a possível eutanásia, ou abandono. Morchel disse, “por ser a C.A.T.S. uma ONG contra a eutanásia, ou seja, que nós não eutanasiamos um animal saudável, estamos ficando sem espaço para mantê-los. – As pessoas se sentem seguras em dar os seus animais de estimação para nós, o problema é que sem mais lares esses animais terão de ser mandados embora.”

Para ilustrar a situação de animais abandonados e como C.A.T.S. e seus voluntários correm em seu socorro, Morchel contou essa história. “Na noite de Halloween, uma mulher e sua filha foram pedir doces e chegou um gato magro que roçava em suas pernas e permitiu que elas o acariciassem. Era óbvio que o gato estava abandonado e faminto. Ela perguntou na vizinhança se alguém era dono do gato, mas ninguém era.” Quando ela voltou no o dia seguinte para tentar encontrá-lo, ela viu outro gato na mesma situação.

Morchel disse: “Ela então chamou algumas organizações e veterinários para ajudá-los, mas não teve sucesso. Então ela chamou a C.A.T.S e falou com nossa gerente, Anne Arzuz, e explicou a situação. Anne disse-lhe para pegar os gatos porque ela tinha um lar adotivo disponível para eles.” A mulher fez exatamente isso e a CATS pegou eles. “Donald é surdo e Kit-Kat é, provavelmente, cego de um olho. Como eles conseguiram sobreviver não sabemos, é um milagre. Donald está com insuficiência renal, mas muito confortável e agora vai ficar na C.A.T.S. para sempre. Kit-Kat está se virando muito bem e esperamos encontrar uma casa para ele em breve”, disse Morchel.

http://media.northjersey.com/images/DONALCAT_1230_CL_tif_.jpg

Em outro relato, a C.A.T.S. foi chamada por uma mulher que se viu incomodada com sete gatos e 13 filhotes. A chamada veio num momento oportuno. CATS e o pessoal da Franklin Lakes Animal Hospital estavam se unindo para uma campanha de castração. Todos os sete gatos adultos foram esterilizados na clínica e receberam tratamento para suas infecções.

Os gatinhos enfrentaram um desafio maior. Todos eles estavam doentes – com infecção nos olhos e respiratória – e estavam severamente desnutridos. Sabendo que a mulher não poderia cuidar deles, a CATS assumiu. Kim Carbone, diretor de adoção da ONG, os pegou e ficou chocado com o que viu. Alguns deles estavam tão subnutridos que mal conseguiam andar e as infecções dos olhos eram tão graves que alguns deles não conseguiam abrir os olhos. Um deles, que foi batizada de “Batman” foi trazido aos serviços de Oftalmologia Veterinária de NJ em Little Falls, onde foi necessária uma cirurgia para abrir os olhos e começar o tratamento, que consistiu em colírio quatro vezes por dia durante dois meses.

Como todos os gatinhos estavam desidratados, eles foram levados para o Hospital Animal Franklin Lakes, onde permaneceram por uma semana tomando soro. Morchel disse: “Por todos os nossos lares estarem lotados, Kim chamou sua mãe, Maureen Cartier, para ajudar a alimentá-los e continuar com o tratamento. Devido a todos estes esforços, todos os 13 filhotes sobreviveram e agora estão saudáveis e prontos para irem para seus novos lares.”

Morchel disse: “Os custos estavam na casa dos milhares de dólares para esterilizar, vacinar, microchipar e medicar estes animais. Este é um exemplo de que as doações que recebemos são preciosas.” Mas as doações monetárias não são a única maneira de as pessoas ajudarem. Morchel disse: “Se mais pessoas se ofereceram para oferecer lar temporário apenas para um animal pequeno, muito mais vidas seriam poupadas. Tudo o que precisamos é de um quarto de hóspedes, escritório, garagem, porão quente -. Qualquer lugar quente o suficiente neste momento do ano para que os animais possam ser resgatados das ruas frias. CATS irá fornecer todos os alimentos e materiais, sem nenhum custo.”

Nota: Se cada um de nós abrigasse um animal abandonado, a situação dos abrigos de animais seria menos desesperadora e estes poderiam auxiliar mais animais em situação de emergência.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SUSTENTABILIDADE

NEGLIGÊNCIA

SOFRIMENTO

PORTO ALEGRE (RS)

INSENSIBILIDADE

GOIÂNIA (GO)

MÉXICO

ACIDENTE

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>