Centenas de aves são encontradas mortas na cidade italiana de Faenza


Centenas, se não milhares, de rolas-comuns foram encontradas mortas esta quarta-feira nas estradas, jardins e em cima de árvores na cidade italiana de Faenza. As aves têm uma misteriosa mancha azul no bico.

A organização ambientalista WWF e as autoridades florestais locais recolheram alguns animais mortos para análise, sendo que os resultados são esperados dentro de uma semana, relatou o site italiano GeaPress. Este sugere que as manchas azuladas no bico das rolas-comuns (Streptopelia turtur) possa ser resultado de envenenamento ou de hipoxia, fenômeno de baixa concentração de oxigênio em ambientes aquáticos. Esta situação causa confusão e doença nos animais.

As autoridades italianas desconfiam ainda do tempo especialmente frio, uma vez que o bando de aves pode ter sido apanhado numa tempestade a alta altitude.

Os habitantes de Faenza, na província de Ravenna, no Norte do país, contam que viram as aves cair do céu como “pequenas bolas de Natal”. Uma testemunha disse ao jornal The Examiner que não faz ideia “de como isto foi acontecer de repente. As rolas simplesmente começaram a cair, uma por uma e depois em grupos de dez ou 20”.

Esta semana foram conhecidos outros casos de animais mortos, nos Estados Unidos (no Arkansas e Louisiana), Suécia, Reino Unido, Brasil e Nova Zelândia. Apesar de as causas ainda estarem a ser investigadas, as temperaturas anormalmente baixas poderão ser a explicação para a maioria dos casos.

Fonte: Ecosfera


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA

JAPÃO

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO SONORA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>