Além de cobaias, animais livres também são vítimas das empresas farmacêuticas


Via Flickr/Oneworld365

Por Lobo Pasolini (da Redação)

As farmacêuticas estão entre as empresas com maior impacto sobre a biodiversidade, o que inclui animais livres, e que menos se preocupam com a questão. Elas são acompanhadas no desrespeito pela natureza pelo setor da construção, de produtos químicos e empreiteiras.

Segundo um relato da revista inglesa The Ecologist, apenas seis por cento das 1.800 maiores empresas listas na bolsa de Londres têm uma política adequada para proteger a biodiversidade.

A matéria se baseia em uma pesquisa feita pelo grupo EIRIS que descobriu que 58 por cento das empresas listadas investigadas operavam em setores que tem um impacto considerável na biodiversidade. O mais preocupante é que deste total apenas seis por cento das empresas de alto impacto tem uma política boa para a biodiversidade.

Boa prática inclui relatórios voluntários, planos e objetivos de reduzir o impacto na biodiversidade.

“Dez ou quinze anos atrás as empresas poderiam fazer declarações insípidas que teriam convencido acionistas que elas estavam por dentro de certas questões. Mas hoje é necessário buscar mais evidência e não frases aguadas que não significam nada”, disse Mark Robertson, porta-voz da EIRIS.

As  informações são da The Ecologist.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL

INESPERADO

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>