Lindo pastor alemão precisa de ajuda para não ser sacrificado, em SP


Juana Braga
juanabraga@yahoo.com.b

Este é o Hans, pastor alemão legítimo, tem 7 anos completados em novembro de 2008, não está castrado e é bravo. Seus dias estão contados!  Estão procurando algum veterinário para acabar com seus dias. E acredito que logo acharão algum.

Já lhes foi indicado castração, adestramento, doação, mas nada disso acontece.Será que alguém poderia retirá-lo dessa família? Alguém que tivesse um espaço para ele, que tenha compaixão de um cãoque foi criado à margem da família e por isso é tão anti-social. O Hans não tem culpa da criação que recebeu.

O sr. Luiz, o tutor desse cachorro está sem saber o que fazer. Não gostaria de sacrificar o Hans que foi comprado por ele quando filhote. Ocorre que o Hans, que sempre foi um cachorro bom – era bravo com estranhos mas dócil com a família-, passeava com seu tutor, adorava viajar, quando abriam a porta do porta-malas ele imediatamente pulava no carro feliz, mudou de personalidade.

Em julho de 2008 apresentou o primeiro sinal de agressividade: Sem qualquer motivo aparente “atacou” o sr. Luiz pelas costas, ocasionado ferimentos. Numa segunda vez em setembro fez o mesmo. A família então perdeu a confiança no Hans e ele, por estar agora relegado à solidão e sem conviver com humanos, está se tornando mais agressivo.

A família viajou para a praia e o deixou sozinho com ração suficiente, água, porém sem qualquer contato humano. Não posso julgar, não passei por situação semelhante, mas o sr. Luiz me pareceu uma pessoa bastante lúcida e educada e aparenta gostar muito do Hans, que foi seu fiel companheiro por muitos anos. Se coloquem no lugar dele, o que fariam? Ele esta sem “eira nem beira” precisa de orientação, está sem saber o que fazer, conversou com um adestrador que lhe sugeriu “ENFRENTAR O CACHORRO COM UM PEDAÇO DE PAU” evidente que o sr. Luiz está com receio do cachorro, foi mordido seriamente por 2 vezes me disse que não vai fazer isso!

Minha sugestão de leiga, porém amante dos animais foi que ele conversasse com outro adestrador para encontrar uma solução menos drástica e que seja ideal para todos, humanos e animal.

Algum adestrador da proteção poderia ajudar o sr. Luiz nesse caso? Alguém tem alguma sugestão? Vamos salvar esse cachorro, sabe-se lá o que ocorreu que o fez mudar! Se for  transtorno de personalidade quem sabe exista algo a ser feito. Por gentileza ajudem nesse caso. Tenho os telefones do sr. Luiz e posso passá-los a quem estiver disposto a ajudar, a Cristina que fez o pedido é parente distante do proprietário e está penalizada com a situação do Hans, falem com ela. A família mora na Freguesi do Ó, em SP.

Contato: Juana Braga/  Cristina (11) 9159-1559 e (11) 8945-8681 e (11) 3672-6635 / silviacc@uol.com.br


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CHINA

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO

COMPAIXÃO

VIOLÊNCIA

PESQUISA

APELO

RECOMEÇO

BARBÁRIE

SEGUNDA CHANCE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>