Condenados pela "ciência"

Mais de 100 milhões de animais sofrem e morrem anualmente, vítimas da experimentação

Neste momento, milhões de camundongos, ratos, coelhos, primatas, gatos, cães e outros animais estão trancados a frio, em gaiolas de laboratórios. Eles sofrem com a dor, solidão e falta de...

875

06/11/2010 às 06:00
Por Redação

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por Sandra del Soldato (da Redação)

Foto: Reprodução/Peta

Neste momento, milhões de camundongos, ratos, coelhos, primatas, gatos, cães e outros animais estão trancados a frio, em gaiolas de laboratórios. Eles sofrem com a dor, solidão e falta de liberdade. Tudo que podem fazer é sentar e esperar, com medo do próximo procedimento terrível e doloroso que será aplicado neles.

O estresse, a esterilidade e o tédio fazem com que alguns animais desenvolvam comportamentos neuróticos, como  girar incessantemente, balançar para frente e para trás e até mesmo arrancar os próprios pelos, mordendo sua própria pele. Eles tremem e se encolhem de medo sempre que alguém passa por suas gaiolas e a pressão arterial sobe drasticamente. Depois de suportar a vida de solidão, dor e terror, quase todos eles são mortos.

Anualmente, mais de 100 milhões de animais sofrem e morrem em função de química cruel, drogas, alimentos e testes de cosméticos, aulas de biologia, exercícios de treinamento e experiências médicas. Os números exatos não estão disponíveis porque os ratos, camundongos, aves e animais de sangue frio, que representam mais de 95% dos animais utilizados em experiências, não são protegidos pelo Animal Welfare Act e não são contabilizados. Para testar cosméticos, produtos de limpeza e outros produtos de consumo, centenas de milhares de animais são envenenados, cegos e mortos todos os anos pelas empresas. Camundongos e ratos são obrigados a inalar gases tóxicos e pesticidas; os cães são alimentados à força, e nos coelhos, substâncias químicas corrosivas são esfregadas na pele e nos olhos. Muitos desses testes não são sequer obrigados por lei, e muitas vezes produzem resultados imprecisos ou enganosos. Mesmo se um produto prejudica os animais, ele ainda pode ser comercializado. Testes cruéis e de toxicidade mortal também são realizados como parte de grandes programas de testes regulatórios, que muitas vezes são financiados pelo dinheiro dos contribuintes dos EUA. A Agência de Proteção Ambiental, a Food and Drug Administration, o Programa Nacional de Toxicologia, e o Ministério da Agricultura são apenas algumas das agências de governo americano nos quais os animais estão sujeitos a testes dolorosos e brutais.

O governo federal e diversas organizações de saúde gastam dólares dos contribuintes e de doações generosos em experiências cruéis e enganadoras com animais, em universidades e laboratórios privados, em vez de gastá-los em testes in vitro e estudos epidemiológicos, que são realmente relevantes para os seres humanos.

Milhões de animais também sofrem e morrem em experimentos em salas de aula de biologia e dissecções, embora alternativas modernas têm sido repetidamente apresentadas como alternativas para ensinar aos alunos, e economizar tempo dos professores e dinheiro das escolas.

Cada um de nós pode ajudar a salvar os animais do sofrimento e da morte em experimentos, exigindo que as escolas e universidades parem de utilizá-los. Deixando de comprar produtos de empresas que fazem uso de testes em animais (veja lista a seguir). Doando apenas para instituições de caridade que não praticam testes em animais. Solicitando alternativas para a dissecação e exigindo a implementação imediata de testes  eficazes e sem utilização de animais por agências governamentais e corporações.

Você pode participar também assinando o abaixo assinado do PETA pelo fim dos testes em animais e divulgando essa causa. Para participar de abaixo assinado pelo fim dos testes em animais clique aqui.

Acesse aqui e conheça as empresas que testam seus produtos em animais.

Com informações da PETA

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.