Conheça boas opções em SP para quem é vegano


“É muito fácil ser vegano na cidade de São Paulo”, afirma o designer Marco Wey, 26. Vegetariano desde os 15 anos, ele decidiu virar vegano há três porque achava hipócrita não comer carne e continuar a consumir outros derivados de animais como ovos, leite e couro. Quando optou por esse estilo de vida, Marco não recebeu apoio. “Não me disseram nada positivo, só escuto piadas, mas não ligo.”

Segundo ele, a maior dificuldade foi parar de consumir leite, porque fica complicado saber se o item foi ou não utilizado na preparação dos pratos. “Hoje olho queijo e não tenho a menor vontade de comer aquela gordura toda.”

Sorveteria Soroko serve gelados feitos com leite de soja, em sabores variados --valor é o mesmo dos tradicionais (Foto: Daigo Oliva/Folhapress)

Para o designer, a cidade oferece diversas opções vegetarianas, e é nesses locais que o vegano “se salva”. “Problema eu só tenho quando viajo para o sul do país.” Para ele, estranho é comprar sapatos. “Quando pergunto se o calçado é de couro legítimo, os vendedores acham legal garantir que é. Dou meia-volta e procuro outra loja”, conta.

Marco está certo. São poucos os pontos totalmente veganos em São Paulo. Embora o veganismo não seja focado apenas na alimentação, os restaurantes vegetarianos quase sempre oferecem pratos voltados para esse público.

Juninho, 32, baixista da banda Ratos de Porão, é vegano desde 1995. “Quando me envolvi com o pessoal do punk e do hardcore, passei a ter uma postura mais política em relação a tudo. Li muito sobre o assunto e acho que é possível viver bem na cidade sem ter que matar ou maltratar outro ser vivo. Basta ter força de vontade”, afirma.

Para o músico, parar de comer carne foi fácil e só trouxe benefícios físicos. “Meu intestino funciona perfeitamente e me mantenho magro. A única mudança mais relevante é que, como me alimento de forma mais leve, sinto mais fome ao longo do dia. Basta fazer um lanche durante a tarde e fica tudo certo.”

Juninho é um dos organizadores da Verdurada, uma festa que reúne veganos na cidade. Criada em 1993, ela começou como um encontro que contava com refeições veganas e show no final do dia.

Em 1996, o grupo cresceu e os encontros passaram a ser realizados em galpões, com apresentações de diversas bandas, nos quais também é proibido fumar ou ingerir bebidas alcoólicas. Jaquetas de couro? Só se forem sintéticas.

Apesar do estereótipo, o baixista não é radical. “O importante é ter consciência do que você está consumindo. Se eu viajo e esqueço a pasta de dente vegana [não testada em animais], não vou ficar sem escovar os dentes, mas, se tenho a opção de escolher um produto que não prejudicou um animal, eu faço.”

Há poucos pontos só para veganos em SP, mas restaurantes vegetarianos têm pratos para eles:

ROTEIRO VERDE

Vegethus
Um dos mais badalados restaurantes 100% veganos de São Paulo, é rota do músico Moby quando está na cidade. A matriz, um point vegano há sete anos, próximo ao metrô Santa Cruz, acaba de fechar. No novo endereço, na região da Paulista, há um charmoso café e lojinha com produtos veganos como roupas e cosméticos. Aos sábados, há rodízio de pizza no forno à lenha. No segundo sábado do mês, acontece a noite da junk food. O cardápio demora cinco semanas para ser repetido. Entre os pratos mais aguardados, o tofu assado com shoyu e orégano e o acarajé. Destaque para as sobremesas.
R. Haddock Lobo, 187, Cerqueira César, tel. 2306-2116, www.vegethus.com.br

Vegacy
No Jardim Paulista, o Vegacy existe há dois anos. O ambiente simples é boa opção para um almoço rápido. O buffet (R$ 17) tem dez opções de pratos quentes, saladas e tortas salgadas. Às quartas, há feijoada vegana. Sábado é noite de pizza. De sobremesa, cupcakes com leite de soja.
R. Augusta, 2.061, Jardim Paulista, tel. 3062-9989

Flor de Mamão
Outra opção para a o almoço, o restaurante vegetariano tem cardápio 80% vegano -esses pratos são sinalizados no buffet (R$ 18). Destaque para a torta de banana e para o pó de capuccino vegano vendido na lojinha.
R. Tutóia,126, Paraíso, tel. 2609-7347, www.flordemamao.com.br

Lar Vegetariano – Delivery
Entrega pizza, além de lanches e salgados congelados, tudo vegano. A redonda mais pedida é a de quatro queijos, feita com catupiry de soja, mozarela de soja, tofu fresco e tofu defumado.
Tel. 3978-8681, horário: sex e sáb, das 19h às 22h30

Sorveteria Soroko
Foi depois que uma cliente ficou intolerante à lactose que o dono do local, Anatolie Soroko, decidiu criar sorvetes sem o ingrediente. O resultado do trabalho com o leite de soja é delicioso e custa o mesmo que a bola tradicional. A cobrança é por peso. O mais pedido é o sorvete de strudel. Existem também opções de frutas.
R. Augusta, 305, Consolação, tel. 3258-8939

Maha Mantra

Vegetariano inspirado na culinária indiana, oferece boas opções para veganos.
R. Fradique Coutinho, 766, Vila Madalena, tel. 3032-2560, www.mahamantra.com.br

Da Adi – Culinária Gourmet
Adriana Tatias, a Adi, faz bufês vegetarianos para eventos caseiros. A especialidade é uma culinária saudável e sofisticada, e há cardápio vegano. Os pratos do desejo são a lasanha de quinua com queijo artesanal e a almôndega de berinjela. Vale provar o biscoito de aipim, 100% vegano.
Tel. 4485 5360

Apfel
Muito frequentado por gringos, o Apfel tem 50% do cardápio vegano. Foi por lá que a turma da banda Belle & Sebastian e a cantora francesa Soko se alimentaram na passagem pela cidade. No almoço, há um bufê bem servido. Para o jantar, as boas opções do cardápio são o arroz negro com pupunha grelhada e o cheesecake de tofu.
R. Bela Cintra, 1.343, Jd. Paulista, tel. 3062-3727, www.apfel.com.br

Maní
O restaurante não é vegetariano, mas, para um jantar especial, é bom saber que a casa oferece uma opção de prato para o público vegano. Trata-se do manioca (legumes com espuma de tucupi).
R. Joaquim Antunes, 210, Jardim Paulistano, tel. 3085-4148, www.manimanioca.com.br

Vegan Pride
Localizada na Galeria do Rock, a loja oferece apenas produtos que não tenham origem animal, como bolsas, cintos, camisetas, carteiras, jaquetas e cosméticos.
Av. São João, 439, loja 446, centro, tel. 3362-0897, www.veganpride.com

TIPOLOGIA

O nutricionista George Guimarães, 36, tem um consultório especializado em orientar quem deseja parar de consumir produtos de origem animal. Abaixo, ele explica as categorias elencadas pela Sociedade Vegana do Brasil.

Protovegetariano
Não come carnes, mas consome ovos e laticínios. Não tem restrições ao uso de couro, lã ou cosméticos que incluam ingredientes de origem animal ou que envolvam testes em animais.

Vegetariano
Aquele que só se alimenta de produtos de origem vegetal.

Vegano
Além da alimentação, ele não consome nenhum produto de origem animal na forma de vestuário ou cosméticos, não frequenta circos, rodeios, zoológicos nem participa de outras atividades que impliquem a exploração de animais

* Se você vai viajar, confira um site que inclui resenhas de restaurantes veganos pelo mundo: www.happycow.com.

Fonte: Folha de São Paulo


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DESAMPARO

COVARDIA

APOIO COLETIVO

MISSÃO

SÃO SEBASTIÃO (SP)

DEMANDA CRESCENTE

CRISE CLIMÁTICA

CRUELDADE

ALERTA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>