Descobertas 17 carcaças de rinocerontes numa reserva animal da África do Sul


Dois funcionários dos Parques Nacional da África do Sul (SANParks) encontraram um autêntico cemitério de rinocerontes com 17 carcaças numa zona de fronteira entre as provínicias de Mpumalanga e Limpoo, na fronteira ocidental do Parque Nacional Kruger, segundo o site News24. As autoridades já abriram um inquérito para purar o que se passou. A descoberta foi feita quando a equipa de técnicos sobrevoava o terreno para realizar um censos à população de rinocerontes.

Joshua Kwapa, porta-voz da Junta de Turismo do Limpoo, disse que no seu departamento todos ficaram “extremamente chocados” com a descoberta das carcaças e que tudo farão para apurar o que verdadeiramente aconteceu e responsabilizar os culpados. Há suspeitas de que funcionários públicos possam estar envolvidos neste crime. De acordo com o mesmo porta-voz, tudo indica que os animais tenha sido caçados naquela reserva no último ano. Aparentemente, alguns dos chifres foram arrancados, enquanto outros foram cortados cirurgicamente.

A maioria das carcaças estava numa coutada conhecida por Letaba Ranch, com uma área de 42 hectares, uma concessão dada pelo Parque Nacional Kruger a um operador privado que, entretanto, abriu falência. Desde então, as cercas foram retiradas e tudo mudou. Outras carcaças estavam espalhadas pela zona de Loskopdam e Haartbeesfontein, não estando de parte a possibilidade de muitos dos animais terem sido mortos há vários anos, a julgar pelo seu estado de decomposição.

Um especialista em gestão ambiental, que não quer ser identificado, pergunta como é possível as carcaças estarem ali há mais de dois anos sem que ninguém tenha reparado nelas. Desde o início do ano, as autoridades sul-africanas já contabilizaram o assassinato de 268 rinocerontes, um número sem precedentes na história do país desde que foram aplicados programas de proteção da vida selvagem.

Fonte: Jornal de Notícias/Os Bichos


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PRESERVAÇÃO

DESESPERO

CONSOLO

CALIFÓRNIA

ANGÚSTIA

COMPANHIA

VIOLÊNCIA INJUSTIFICADA

ASSASSINATO BRUTAL

EXEMPLO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>