Duas cadelas morrem envenenadas e crime não é apurado em SP


Laura Maria Gomes
lauragomes@gmail.com

Hoje, 7 de novembro de 2010, faz exatamente 1 ano que envenenaram com chumbinho, segundo laudo do veterinário, minhas duas cachorrinhas de 9 meses: Gaia e Filó. O boletim de ocorrência foi lavrado na 52ª Delegacia – Parque São Jorge, Tatuapé, São Paulo, SP.

Segundo o veterinário e o chefe de investigadores, o chumbinho foi colocado no pote da ração. Ou seja, o envenenador estava dentro da minha casa. A polícia não deu continuidade ao processo e as únicas pessoas que estavam em casa era eu, minha mãe que tem 85 anos, a empregada e um primo meu.

Pedi ao chefe de investigação que fizesse uma acareação mas nada foi feito. O descaso para um crime tão violento e cruel acabou em nada. Vide foto das minhas pequeninas, no colo do meu filho, que também as amava tanto quanto eu, tirada uma semana antes desse crime horrendo. Ou seja, um assassino(a) cruel e perigoso ainda está solto.

Quem defenderá nossos animaizinhos tão queridos e amorosos? É necessário que existam entidades para punir esses criminosos!


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VEGANISMO

PRESSÃO PÚBLICA

RESILIÊNCIA

RECOMEÇO

FINAL FELIZ

RECIFE (PE)

RECOMEÇO

CONSCIÊNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>