Projeto na USP ajuda cão obeso a emagrecer


Teca, uma cadela gordinha, que faz reeducação alimentar no Hospital Veterinário da USP. (Foto: Patricia Stavis/Folhapress)

“Cães não abrem a geladeira e não vão ao supermercado comprar guloseimas”, diz Denise Schwartz, professora da Faculdade de Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (SP).

Denise coordena um projeto que estuda alterações cardíacas num grupo de cães obesos. Os tutores são orientados a estimular a atividade física e promover reeducação alimentar. Uma marca ajuda com a ração diet.

Em dois meses, a golden Teka, 4, perdeu cinco dos 58 kg que tinha – o peso ideal da raça é de cerca de 30 kg.

“Ela não queria brincar. Fiquei preocupada”, conta a tutora Terezinha Embden.

Tutores de cães obesos que não se enquadram no perfil da pesquisa também são orientados pela equipe do Hospital Veterinário da USP.

Fonte: Folha


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA

AÇÃO SOCIAL

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>