Psicóloga estuda comportamento dos cães e sua comunicação com os tutores


Alexandra Horowitz estudou a capacidade de aprender dos cães (Foto: Divulgação)

Alguns tutores de animais podem ser vistos como loucos quando afirmam que realmente conseguem entender o que eles dizem. Os cachorros, especialmente, parecem dizer com o olhar o que querem ou que entenderam o que foi dito.

Professora de psicologia na Columbia University, Alezandra Horowitz dedicou seus estudos acadêmicos à cognição, ou o ato de adquirir conhecimento. Horowitz não se prendeu aos humanos e expandiu seu estudo aos rinocerontes, primatas e cachorros. Para estes últimos dedicou o livro A Cabeça do Cachorro.

A autora estudou como, após milhares de anos de convivência, os cães aprenderam a observar e responder ao comportamento do homem. Especialmente nos dias de hoje, em que os animais chegam a substituir um membro da família.

Os cachorros possuem uma ótima capacidade de aprendizagem. Por exemplo, decoram o nome dos objetos dados pelas pessoas com quem convivem.

Estes animais tornaram-se os melhores amigos do homem por saberem como interpretá-lo, o que os faz confiar mais no tutor do que em outros de sua espécie e perceberem o foco de atenção dos humanos.

Para chegar a estas conclusões, Horowitz fez experimentos com cachorros e seus tutores. As atividades permitiam observar como os caninos percebem o mundo ao seu redor, como interagem uns com os outros, e qual a natureza do relacionamento deles com os humanos.

“A Cabeça do Cachorro” mostra os cães como antropólogos dos tutores (Foto: Reprodução)

Em uma dessas experiências, o tutor mostrava um alimento ao animal, dava a ordem para ele comer e deixava o local. Enquanto estivesse sozinho, o cão comia ou os pesquisadores retiravam o alimento. Os tutores que não eram informados da intervenção retornavam à sala e brigavam com os cães. A professora percebeu que os bichos faziam “cara de culpa” quando recebiam advertência.

A conclusão da psicóloga e especialista em comportamento animal foi a de que os cachorros aprenderam, de certa forma, a reagir em resposta ao comportamento de seus tutores: “Nós geramos o contexto que os estimula a produzir aquela cara”, explica.

Com A Cabeça do Cachorro, Horowitz revela a verdade por trás de crenças sobre instinto canino e busca o ponto de vista dos animais para entender as atitudes deles.

Ao longo dos capítulos, a estudiosa mostra como impomos nossa percepção e comportamento ao interpretar os animais, fazendo com que eles realmente os adquiram; a importância que sentidos como o olfato têm para eles e como os cães podem ser verdadeiros antropólogos de seus tutores.

Fonte: Folha de SP


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL

INESPERADO

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>