Fogo destrói parte de reserva do mico-leão-preto em SP


Um incêndio que perdura há duas semanas consumiu até hoje cerca de 200 hectares – o equivalente a, aproximadamente, 200 campos de futebol – da Mata Atlântica da Estação Ecológica Mico-Leão-Preto, em Euclides da Cunha Paulista, no Pontal do Paranapanema. A reserva federal de 6,6 mil hectares, administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), é o último habitat natural desses primatas no Estado de São Paulo.

O fogo começou no último dia 3 e teria sido criminoso, segundo o chefe da estação Paulo Roberto Machado, que pediu uma investigação à Polícia Federal (PF). As chamas chegaram a ser contidas na semana passada, mas reapareceram na segunda-feira. Hoje, os focos se concentravam no fragmento próximo do Parque Estadual do Morro do Diabo, em Teodoro Sampaio, também atingido pelas chamas.

Uma equipe com 14 brigadistas se revezava no combate ao incêndio. De acordo com a analista ambiental Miriam Rosa Paron, o local é de difícil acesso, em meio à mata densa, e faltam equipamentos. O grupo contava com uma motosserra e um trator de esteira, além de um helicóptero usado apenas para transporte do pessoal, pois não está equipado para lançar água.

A reserva e o parque estadual compõem uma das últimas áreas de preservação da Mata Atlântica no interior paulista e, além de primatas, abrigam grandes felinos, como a onça-pintada e a suçuarana.

Fonte: Estadao


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA

ETERNIZADO

AÇÃO SOCIAL

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>