Flórida finalmente proíbe a caça cercada de raposas e coiotes


Por Giovanna Chinellato  (da Redação)

Recentemente, finalizando mais de um ano de esforços, a Florida Fish and Wildlife Conservation Comission (FWC) proibiu a caça cercada de raposas e coiotes,  uma prática cruel que consiste em soltar alguns animais em áreas cercadas para persegui-los e caçá-los com cães. A Humane Society dos Estados Unidos vem há muito tempo fazendo campanhas para acabar com essa prática abusiva, e com essa nova política na Flórida incontáveis raposas e coiotes serão salvos.

O processo da caça cercada começa com o aprisionamento de um animal selvagem, com uso de armadilhas. Os animais são, então, amontoados em gaiolas e muitas vezes transportados por longas distâncias sem comida ou água. Quando chegam a seu destino, eles são soltos um a um, aturdidos, em um cercado e forçados a correr por sua vida. Cães podem perseguir os animais cercados por horas, até a exaustão. Não importa o tamanho do cercado, não existe escapatória.

Juízes avaliam os cães pela persistência na caçada. O vencedor é o que alcançar a presa depois da exaustiva corrida. O perdedor?  A raposa ou coiote que é destroçado até morrer.

Na Flórida, a família Maine passou mais de um ano testemunhando o que acontecia no cercado vizinho à sua casa. Eles fotografaram cães atacando um coiote acuado na véspera de Natal, e ouviram cães matando animais no cercado. Eles levaram o que coletaram para a Fish and Wildlife Comission e deram depoimentos por mais de 10 horas. Eles criaram um website, falaram com o governo, se inteiraram das leis, e logo tinham nas mãos um movimento com 3 mil pessoas determinadas a acabar com a crueldade da caça cercada.

Apoiando seus depoimentos, estava a incansável equipe da FWC, que passou meses investigando o mercado negro de raposas e coiotes e prendeu 12 pessoa por compra de animais (usados para repor aqueles que foram mortos por seus cães).

Milhares de membros da HSUS também se envolveram. Alguns foram às reuniões da FWC, outros escreveram para editores, e os mais dedicados viajaram para chacoalhar representantes de seus estados e pedir ajuda.

Entre tudo isso, os membros da FWC ouviram os manifestantes e demonstraram interesse em acabar com a crueldade dos cercados. No final, se recusaram a permitir a prática com regulamentos inúteis, deixando claro que não acreditam numa forma certa de se fazer algo errado.

Em sua decisão unânime, a comissão proibiu uma prática cruel para sempre. Eles mostraram como as pessoas deveriam estar trabalhando para acabar com cada cercado de caça do país e mostraram o poder que conquistamos quando unimos o bem dentro de nós para acabar com o mal que fazemos aos animais. Agora, os outros estados dos EUA só precisam seguir o exemplo.

Fonte: Examiner


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

ARTIGO

DESACATO

GENTILEZA

DOR E SOFRIMENTO

EDUCAÇÃO

BENEFÍCIOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>