Um quinto das espécies africanas de água doce está ameaçado de extinção


Um quinto das espécies africanas de água doce, correspondendo a 21 por cento, está ameaçado de extinção, alerta um relatório divulgado hoje pela União Internacional de Conservação da Natureza (UICN).

O relatório alerta que estão em perigo mais de mil das 5.167 espécies de peixes, moluscos, caranguejos, libélulas e plantas aquáticas africanas que foram registradas e avaliadas por 200 cientistas durante cinco anos.

A agricultura, extração de água, barragens, desflorestamento e espécies exóticas invasoras são as principais causas deste empobrecimento da biodiversidade dos rios, ribeiros e lagos africanos, explica a UICN.

A organização refere o caso do lago Vitória (Quénia, Uganda e Tanzânia), onde 45 por cento das 191 espécies de peixes avaliadas estão “ameaçadas ou dadas como extintas”, nomeadamente devido à introdução da perca do Nilo.

O lago Malawi também viu a população de Oreochromis karongae, uma espécie de peixe conhecida pelos locais como Chambos, diminuir 70 por cento em dez anos.

“Se não travarmos” o processo de desaparecimento destas espécies, “o continente vai perder de forma irreversível a sua biodiversidade”, advertiu o director do projecto, William Darwall. Esse é já o caso da parte inferior do rio Congo, onde onze espécies de moluscos numa extensão de cem quilômetros estão “muito ameaçadas” por causa da poluição existente a montante.

Fonte: AFP


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

FINAL FELIZ

CRUELDADE

CRISE ECONÔMICA

SINERGIA

MAUS-TRATOS

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>