Violência não só contra os animais

Ativistas são agredidos em manifestação contra festa de touro, na Espanha

Por Raquel Soldera (da Redação)

Os ativistas da organização em defesa dos animais AnimaNaturalis tiveram que suportar vaias, insultos e até cuspe e ovos em uma manifestação neste sábado, 28, contra o “correbou” de Fornalutx, em Maiorca, na Espanha.

O “correbou” é considerado uma festa tradicional, realizada na primeira semana de setembro, onde um jovem touro é amarrado por uma longa corda, e é segurado por cerca de dez a vinte homens.

Correbou de Fornalutx (Foto: Diario de Mallorca)

Durante a manifestação, um dos ativistas, tingido de marrom, simulava o que acontece no “correbou”, sendo puxado por cordas por outros ativistas. Além disso, cartazes eram mostrados, enquanto os ativistas pediam que não houvesse mais “espetáculos” deste tipo com a exploração de animais.

Cerca de 200 pessoas se revoltaram com a manifestação, pronunciando-se a favor do “correbou”. Entre os revoltosos estavam crianças, além de vários vereadores locais, usando camisetas da organização oficial do “correbou” do ano passado.

Os vinte ativistas da AnimaNaturalis foram protegidos por mais de dez agentes da Guarda Civil.

A tensão atingiu o seu ponto alto no final do ato de protesto, quando os ativistas deixaram a praça da cidade. Tiveram que ser escoltados por policiais até o estacionamento onde haviam deixado os carros, enquanto eram seguidos por mais de cinquenta pessoas, alguns dos quais jogaram água e outros objetos nos ativistas. Isso forçou a Guarda Civil a formar uma barreira para separar os dois grupos.

Ativistas durante manifestação (Foto: AnimaNaturalis)

No entanto, quando os jovens estavam deixando o estacionamento, um dos veículos em que viajavam foi atacado por um homem, que quebrou o vidro traseiro com um soco. Em seguida, houve vários confrontos com a guarda civil, que reduziram a força de alguns dos contramanifestantes. Ainda assim, ninguém foi preso.

Ismael Lopez, porta-voz da AnimaNaturalis, qualificou o contraprotesto de “desproporcional” e disse que aqueles que vaiaram “não tinham autorização legal para a manifestação”. “Essas pessoas são aquelas que gostam de assistir aos animais sofrerem”, disse ele.

Também neste fim de semana, dois eventos em prol do fim das festas com touros em Colmenar Viejo (Madrid) e Ampuero (Cantabria), resultaram na intervenção da Guarda Civil para proteger os ativistas pelos direitos dos animais da violência daqueles que defendem as touradas.

Assista à reportagem sobre o incidente da TV Mallorca (em espanhol):

5 COMENTÁRIOS

  1. A manifestacao dos ativistas sao pacificas!
    Pessoas que sao a favor do sadismo,esta mais que claro,sao um bando de vandalos,mal carater,monstros que so sabem usar a forca contra os indefesos,covardes!

  2. Sabe o que eu percebo? Quando vamos fazer um protesto contra rodeios, vaquejadas, ou qualquer evento em que bichos são torturados, os nossos protestos são pacíficos, mais quem defende essas práticas cruéis, agem com violência, querem intimidar, bater, isso só mostra que isso embrutece o ser humano, afinal quem tortura e mata um bicho, pode muito bem torturar e matar um humano, não?

  3. Força amigos dos animais,não deixem nunca de lutar pelos indefesos,pela crueldade..pela tortura e sadismo que praticam com os pobres bichinhos que não têm como se defender,bem hajam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui