Crueldade não é arte

Artista plástico descreve, no programa do Jô, como tortura baratas em suas obras

Por Danielle Bohnen (da Redação)

Mais uma vez, o apresentador Jô Soares abre espaço em seu programa, na Rede Globo, para pessoas que se deleitam em torturar animais, como foi o caso de Adriana Birolli, que explicou às gargalhadas como torturou e matou coelhos e galinhas no escotismo, com piadas e imitações esdrúxulas por parte do apresentador (leia mais aqui).

Segundo informações do site do programa, “o artista plástico Fernando de La Rocque transformou seu pânico de inseto em arte e mostrou o resultado na exposição ‘Barata de ouro – Expressionante’, no Espaço Cultural Sergio Porto, no Rio”. Com um tom de humor e requinte, o texto desenvolve a ideia de como torturar animais pode tornar-se uma prática excêntrica quando transformada em “arte”, dizendo: “durante algumas madrugadas ele pintou baratas com colorjet dourado nas ruas do Leblon e Humaitá (…). Fotos das caçadas noturnas, bem como o feedback por e-mail dos que receberam os bichinhos estão expostos na galeria”.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO
Foto: Reprodução/TV Globo

Apenas pessoas sádicas e que pouco sabem o que é arte são capazes de pagar para visitar uma galeria onde são expostos animais mortos depois de serem cruelmente torturados e pintados como se fossem meros objetos para contemplação.

O artista ainda afirma que mandou as baratas por sedex, o que é proibido pelas normas do Correio. “Algumas baratas ele deixou fugir. Outras, ele capturou e enviou, vivas, via sedex, a amigos”. Mas existe, ainda, outro detalhe importante: “os Correios não aceitam a postagem de remessas contendo: animal vivo (…); animal morto, ossos e cinzas animais”, como pode ser confirmado na sessão do site oficial “o que não transportamos“.

“Depois de pintá-las e enviá-las pelo correio”, explica Fernando, “todas chegam vivas, mas quando a pessoa demora para abrir a caixa aí ela fica meio malzinha e acaba morrendo.”

Todos os animais são sagrados. As baratas, inclusive, como o próprio apresentador, em um inesperado lapso de lucidez, esclarece: “a barata é muito importante para ajudar a não poluíição”, por transformar gases tóxicos da atmosfera. Segundo o biólogo o Paulo Anibal G. Mesquita, em seu blog Mundo dos insetos, “as baratas alimentam-se de fezes e animais mortos e as formigas e os cupins que reciclam a matéria orgânica no solo atuando sobre plantas mortas e, nesse sentido, as baratas na natureza são importantes, pois devido ao seu hábito alimentar de aproveitar quase todos os detritos orgânicos, realizam a reciclagem dos nutrientes”.

O artista mostra o kit de caça às baratas e fala que é uma boa opção para quem encontra esse inseto em casa, para em vez de matá-la, fazer a captura e soltá-la em outro lugar (Foto: Reprodução/Rede Globo)

O pseudoartista, que faz também “obras” com baratas de plástico e silicone, prova ele mesmo a absoluta falta de necessidade de usar animais vivos para promover-se como um artista excêntrico, sem praticar atos de crueldade com animais vivos.

Nota da Redação: Todos os animais são sujeitos de direito e, além disso, parte de uma cadeia importante que mantém o equilíbrio ecológico, portanto todos eles merecem respeito. As baratas são importantes para reciclar a sujeira produzida no planeta. O que acontece é que o ser humano cria cidades e lugares que diminuem as reservas naturais e os animais são obrigados a se adaptar às novas condições, vivendo em esgotos e sujeitos a servirem de hospedeiros a diversas doenças. Mas isso não significa que devam ser submetidos à maldade humana, sofrendo com a crueldade de um homem que tortura e mata esses animais. O que é arte contém em si o respeito à vida. O que esse pseudoartista chama de arte é um ato criminoso contra a vida e a natureza. Nada além disso.

38 COMENTÁRIOS

  1. Tá eu tenho medo supeeeer de barata! Mas eu não as mato de jeito nenhum! Sempre que uma aparece eu abro portas e janelas pra ela sair de dentro de casa,pq apesar do nojo que sinto delas e do medo,eu tenho pena…
    Jô Soares SEMPREEEE com suas entrevistas desnecessárias!

  2. Desculpa, mas eu não gosto de baratas. Tenho medo, nojo, asco, horror, etc. E qdo uma entra em casa não sossego enquanto não mato a chimeladas ou com veneno. Não concordo com torturar, esse sujeito é um imbecil e o Jô imbecil e meio por dar visibilidade a uma pessoa dessas.
    Agora, espero que vcs não exagerem hein? Daqui a pouco vão estar defendendo o vírus da gripe (afinal tb é uma vida) e outros capazes de provocar a morte.
    Como em tudo mais, a verdade está no meio termo e o bom senso é necessário em todas as coisas da vida.

  3. sinceramente nao entendi. É aceitável matar animais asquerosos e que trazem doencas com venenos, etc e descarta-los. Mas é errado usa-los ja mortos para outros fins? Nao me pareceu um divertimento da parte do artista apesar das piadas ja esperadas do programa. Até parece que agora terei que cuidar de ratazanas, baratas e outros bichos nojentos pra ser uma pessoa melhor.

  4. Nojentos, somos nós humanos, que produzimos lixo e não damos a destinação correta e atraímos esses animais para depois matarmos. Erramos quando sujamos e erramos mais ainda quando matamos. Tem muita gente nojenta no mundo, mas nem por isso a gente sai matando, ou você faz isso Mariana? Toda a vida é sagrada. Esses animais só existem porque as pessoas sujam o mundo. Eu não mato ratos, baratas, formigas, nada. Mantenho meu ambiente limpo, arejado.

  5. Ana Celeste, vc está dizendo que casas em que baratas entram são sujas, é isso?
    Engano seu minha cara, minha casa é limpa e as baratas veem da rua. Se entram na minha casa eu mato.
    Acho que tem pessoas que exageram aqui. Mesmo todas as vidas merecendo respeito, existe uma hierarquia e vc não pode comparar a existência de uma barata com uma vida humana.
    Esse ódio à humanidade é indicativo de problemas psicológicos. Se o homem é fonte de todo mal, também é fonte de todo bem e essa é sua redenção.
    Quem não é capaz de amar a humanidade, não pode amar mais nada, pq o amor é sentimento integral e abrangente.
    O amor a uns, usado como arma contra outros, não é amor, é fundamentalismo.

  6. sinceramente eu nao mato porque e tenho nojo desses bichos até pra isso! peco a alguém. e concordo com a myrian elizabeth no que ela fala.. vem da rua. mas tb acho q é culpa do homem ter essa super populacao de baratas nas ruas. afinal, nós destruimos o meio ambiente. pena q qm acabará extinto primeiro, ao meu ver, será o homem e nao as baratas. segundo dizem muitas línguas, baratas nao morrem nem por um ataque de bomba atômica!só de outra forma…

  7. No último domingo, estava procurando algo na TV e no programa O Formigueiro o apresentador Marco Luque, que também trabalha no CQC, estava com um outro cara colocando baratas no microondas.
    Ainda bem que aquela porcaria não deve ficar muito mais tempo no ar.

  8. Artistinha de quinta. Essa gente faz bizarrice e se acha artista. Vi um pouquinho da entrevista e pensei logo em nossa discussão com relação àquela da Adriana Birolli. O que percebi é que o Jo pareceu meio travadão. Acredito eu que por conta da repercussão da entrevista da atriz. Tenho certeza de que ele sabe como aquilo repercutiu, ainda que tenha ignorado, não só o meu e-mail como de muitas outras pessoas. O apresentador não fez piadas que eu me lembre, epecialmente as mais agressivas como de costume quando o assunto é crueldade contra os animais. De qualquer forma continua dando espaço pra esse tipo de gente e jamais vi, EMBORA EU TENHA SUGERIDO VARIOS NOMES IMPORTANTES NO CENÁRIO DOS DIREITOS ANIMAIS, uma entrevista com alguém que trate do tema com seriedade ou que mostre um outro aspecto de como nos relacionamos com os animais, isto é, sem crueldade, exploração e com respeito, amor e ética.

  9. APENAS DITADORES PERSEGUEM ARTISTAS
    vocês entenderam tudo errado, graças a péssima reportagem escrita pela sra. Danielle. a idéia do trabalho é transformar as baratas em estrelas. eu não as torturo, eu as pinto!
    disseminar ódio contra um artista é muito mais grave que matar uma barata. o comentário da sheyla (primeiro comentário) é uma ameaça, uma vergonha para ela, se expor com um posicionamento tão agressivo. isso é uma ameaça. não cometi nada grave, meu trabalho é reconhecido há 8 anos e apreciado mundialmente. a bioética é uma das questões do trabalho, isso está bem claro na hora que ensino às pessoas a se livrarem de baratas sem usar inseticida. peço que conheçam melhor o trabalho antes de falar besteiras. me chamou de pseudoartistas mas esse texto é de uma pseudoativista que provavelmente usa sahmpoo, mora em um apartamento bacana, usa carro, maquiagem, água de torneira, toma remédio… não posso admitir um julgamento tão grave sobre mim. se quem escreveu o texto fosse ijianista eu adoraria conversar a respeito, mas não posso admitir esse ódio gerado contra mim, partido de uma pessoa burguesa e descabida de conhecimento de arte contemporânea. foi infeliz a carona que ela quis pegar comigo, e foram infelizes todos que me julgaram mal, por pura preguiça de tentar entender o trabalho, que EXALTA AS BARATAS, SUBVERTE A PERCEPÇÃO NEGATIVA SOBRE ELAS e sugere ao espectador que desperte um olhar crítico sobre as criaturas menos favorecidas.

  10. Já que você se incomoda tanto com a morte das baratas, você deveria escrever um artigo contra empresas que fabricam inseticidas.

    Obs.: Os animais não são sujeitos de direitos, segundo a maioria dos juristas.

  11. caraca.. quanto radicalismo.. até parece que você está amordaçando criancinhas. Uma vez pintei minha poodle de rosa com papel crepon.. isso faz de mim uma torturadora de animais?
    Se spray de VENENO às vezes não mata as baratas quiçá um spray de TINTA.
    Sociedade protetora das baratas?
    Sim, elas são necessárias, mas no caso das cidades grandes elas são muitas vezes um problema de saúde.
    Cá estamos discutindo BARATAS ao invés de pesquisar os políticos que iremos eleger.
    Brasil, um país de TOLOS

  12. “O mundo está ao contrário e ninguém reparou”, como já dizia Nando Reis. Deve ter alguma coisa errada com esse povo. Meu Deus!! Preocupem-se com as crianças que morrem de fome, que vivem nos sinais a troco de esmolas. Vamos discutir coisas sérias. Isto aqui é RISÍVEL. Lembrando um outro craque da música brasileira, diria: Troque sua baratinha sem noção, por idéias mais consistentes.

  13. Isso ai! Agora escreva um artigo contra a “INSETISAN” e contra todos os malditos brasileiros que matam bararas!
    pelo amor de Deus! Já que você dispõe de espaço cibernético para escrever sobre algo, primeiro pense e pese todo absurdo que você vai escrever.
    Concordo com a Vera. Uma vergonha entrar no site e ver que esse espaço está sendo utilizado para proliferar tanta hipocrisia! vamos falar das baleias que estão sendo mortas, do vazamento de petróleo que é escondido pela imprensa americana e´parar com essa demagogia barata que tanto assola o nosso país!!

  14. Fernando, acho que ditadura é um artista pretender se colocacar acima do bem e do mal e não querer estar exposto a críticas. Acho que tem muita coisa ruim por aí chamada de arte e exatamente por viver numa democracia posso discordar. Já dizia Nelson Rodrigues, toda unanimidade é burra,e embora seu trabalho possa ser reconhecido, eu não aprecio esse da barata, que foi o que vc me mostrou através de um programa de tv. Bacana vc ter se preocupado em esclarecer, mas não me convence de qualquer maneira. De fato não pesquiso estética e sim moral e ética, embora meu autor, David Hume, trate do padrão do gosto, e, segundo ele, tanto a formação do gosto quanto a formação do juízo moral são fundadas sobre os mesmos princípios. Não acredito que quem lhe fez críticas ficaria feliz com a exaltação da barata, mesmo que seja essa a tua intenção. A questão é a exploração do animal, sinceramente nunca vi alguém que se preocupe com as ações humanas em relação a um animal que pretenda que o bicho seja algo além do que ele está determinado a ser, isto é, desejar que uma barata venha ser uma estrela. Falo por mim e assim compreendo aqueles que se preocupam com os animais, não queremos que eles sejam estrelas, mas sejam respeitados e reconhecidos sim como sujeitos de direito e deixem de ser explorados como estamos fazendo cada vez mais. A questão da saúde pública foi criada por nós e aparentemente é muito fácil resolvermos o problema nos livrando dos animais seja com inseticida ou da forma que vc propõe. Realmente muitos animais viraram caso de saúde pública como muitas pessoas lembram aqui, mas agora vamos exterminá-los por isso? A situação deles não é nada boa, os cães nas ruas, por exemplo, até podem transmitir doenças, mas muito mais entre eles mesmos que são da mesma espécie, e sofrem muito com isso, eu mesma estou sempre as voltas com um ou outro cão na rua “fedidão” e como eles querem carinho vem se esfregar na minha roupa, no entanto nunca fiquei doente. Algumas cidades tentaram exterminar pombos e cães, nada adiantou, nada, ao contrário, pergunte a um sanitarista, só lhes inflingimos dor e as populações até aumentaram depois, eles não tem culpa alguma de estarem em tais condições. Não seria mais bacana vc propor idéias onde se diminuisse a população de baratas corrigindo a conduta humana responsável por sua proliferação? Costumo usar esse exemplo: imagine só as crianças e jovens envolvidos com uso e tráfico de drogas, se analisar eles tb se tornaram um problema de saúde pública e além disso, por conta do vício, colocam nossas vidas em risco todos os dias, ao praticar um assalto, por exemplo. Por causa disso deveriamos exterminar nossas crianças e jovens nessa situação? Não, né? Acho que qualquer pessoa sensata diria que deveriamos ir na raíz do problema e lá atuar. Porque com os animais devemos ter outro tratamento se a causa é a conduta humana? Ainda falando por mim, mesmo que muitas das vezes seja muito difícil não participar da cadeia de exploração animal, nos preocupamos muito com a procedencia dos cosméticos que usamos, das roupa, dos sapatos, dos medicamentos (quando são usados, acho que as pessoas se medicam muito mais do que deveriam). Alias essa é uma grande luta de muitos ativistas, inclusive medicos e cientistas, deixar de explorar animais em laboratórios. Há até um grupo de cientistas que aboliu a exploração de animais em seu laboratório, tem uma reportagem aqui na ANDA, se vc se interessar. E posso garantir que não são apenas os burgueses que se preocupam com a causa animal. E por fim, respondendo a outras mensagens não compreendo porque algumas pessoas acreditam que se preocupar com as causas animais excluiria a preocupação com a política, com as crianças abandonadas, com as drogas enfim, todas essas questões. Há um limite para o pensamento crítico? Se me preocupo com determinada ação humana, as outras automaticamente estariam de fora da minha reflexão? É…de fato dá mais trabalho sim, e deixar de lado uma questão (danem-se as baratas, os ratos em laboratórios, podemos usa-los como bem entendermos, em nome da “edificação humana” da “produção de arte”) acreditando que são menores…bem…para mim, isso sim é preguiça de tentar entender….

  15. Quem oprime e subjuga os fracos (animais)são os facistas. O que aconteceria se este artista “genial” pintasse com spray os seres humanos como se isto fosse arte e mandasse pelo sedex?

  16. Existem baratas de esgoto, da floresta, de laboratório, das cavernas, dos cemitérios!As baratas que vivem no lixo, no esgoto, nos cemitérios são altamente contaminadas e não podem conviver com o ser humano! Baratas fora do esgoto tem que ser exterminadas! É um perigo para a sociedade!A barata transmite dezenas de doenças e epidemias, inclusive mortais como tifo, diarréia,muitas viroses,doenças bacteriológicas gravissimas que mataram milhões de pessoas pela história da humanidade! Elas não tem cérebro desenvolvido e terminações nervosas e não sentem dor como nós! Ela tem função ecobiológica sim – dentro do esgoto! Fora dele tem q ser mortas, senão pelo serviço de saúde público tem que ser por nós mesmos,antes que andem nas bôcas de récem-nascidos, idosos ou pessoas doentes q não podem se defender ou nas suas mesmas, ou nos alimentos que vocês comem! É melhor morrer asfixiado por ddt ou raid sem significar nada senão nojo, asco e horror ,ou morrer talvez,pq algumas não morrem, pintadas, tendo a função de questionar os valores do ser humano, como arte!Se não entende de arte ,vai olhar o trabalho de Damien Hirst e outras dezenas de grandes artista do mundo par saber que sempre se usou animais secos ou vivos em arte! É para o homem pensar sobre si e sobre os seu valores!Até Leonardo da Vinci sacrificou,estudou animais! Salvem as borboletas, maripôsas, abelhas, louva-deus, esperanças,besouros,escaravelhos,lagartas que não queimam e cigarras – todos queridos insetos! Você mata ácaros cada vez que deita na cama ou no travesseiro, esfacela e trucida zilhões de vírus e bactérias só para andar para onde não tinha de ir, condena millhões de bactérias cada vez que passa um blush por nada, para ir à uma festinha, você está matando cada vez que toma um remédio de uma maneira horrível bilhões de seres vivos que tem tanto direito à vida quanto você, portanto você é uma carrasca, diante de seu próprio julgamento como uma pessoa que usa camisinha impedindo e matando milhões de vírus HIV para vc dar umazinha com que vc sequer tinha intenção de casar. Você ,segundo a sua teoria tem que defender toda a vida animal, isto é, a que você vê, porque a que não vê naõ existe para você! Segundo a sua teoria então o que não vê pode morrer, justificando assim assassinatos cometidos por cegos que não nos vêem! Você quer sádicamente esquartejar o Fernando – você não é uma serial killer? Eu como psiquiatra vejo que você tem tendências gravissimas! Tem certeza? Mas eu não a condenaria á morte, porque tenho piedade de você e não mataria seres vivos ,a não ser em legítima defesa, principalmente seres humanos que devemos amar e não esquartejar! Acho melhor que você se arrependa-se do que falou se tem alguma consciência e inteligência, pois fala contra você em qualquer tribunal!É uma lástima a ignorância que as pessoas tem, podendo disseminar o amor não só pelos seres vivos, mas se lembrando que o homem é um ser vivo como elas a também serem amadas!Quanto às baratas do esgoto- eu rezo por elas!

  17. oi Thais, finalmente um texto sensato. acho que você chegou para representar bem esse lado que defende a criatura. e é com voce mesma que eu tenho o maior prazer em falar. acho que toda crítica é bem vinda. ninguém é obrigado a gostar do meu trabalho. só achei pesada a forma como a Danielle escreveu, me colocando como um torturador de animais, ou seja: minha foto ao lado da frase “toturador de animais” – quando isso é uma inverdade. minha intenção não é torturar animais, eu apenas pintei a casca da barata. entendo o que voce me diz, que ela não escolheu ser estrela, fui eu quem a condicionou a isso. também sou totalmente contra os (aí sim) pseudoartistas que enfiam pincel na tromba do elefante e dizem que os elefantes são artistas, ou uma novela que expõe um macaco como sendo um artista contemporâneo – o que é uma injúria dupla, tanto para ambientalistas quanto para artista. eu não escolhi ir no jo soares, fui convidado, não tinha ideia do que ele ia perguntar, eles puseram que eu sou especialista em baratas, mas eu não sou. eu sou artista contemporaneo. sou especiaista em arte contemporanea. não tenho culpa se soou mal para quem estivesse ligado na questão ambiental. acho importante que conversemos a respeito disso, e acho importante que minha ideia tenha gerado tanta reflexão. quero dizer que concordo com você. tenho certeza que as baratas não terão o menor pudor de consumir meus olhos quando me puserem no buraco da tumba, e eu penso: que elas sejam bem vindas. agora, entenda: atacar um artista foi infeliz da parte de Danielle, como vc mesma citou, ela foi em cima do mais fraco, num momento em que há tantas industrias de inseticida (não falo só pelos insetos, mas pela poluição da agua e do ar), voces vêm em cima de mim, um artista, sozinho, com uma ideia que não é de torturar, mas pintar uma ou outra barata. claro que ela é tão importante quanto eu no sistema todo, mas a arte ão pode deixar de acontecer. a arte incita discussões, reflexões, é a impressão concreta do pensamento de uma geração, uma sociedade… eu não sou especialista em meio ambiente, mas tento ser o mais equilibrado possivel. não posso evitar minha higiene e saude, se eu fosse pensar nas pobrezinhas das bacterias que proliferam-se no meu corpo eu não existiria, concorda? não podemos ser radicais, nem eu como artista, nem vocês como ativistas. mantenhamos a paz. voce pode ver a quantidade de ameaças que estão aqui nesses comentários, essas pessoas estão tomando as dores da barata e ignorando o fato de eu também ser um animal. como eu disse em outras mensagens, eu só posso aceitar um comentário radical a meu respeito se for provindo de um ijianista, alguém que realmente não fira nenhuma criatura. acho o falso ativismo um perigo. imagine se esse texto que incita as pessoas a me detestarem levar alguem a cometer algum atentado contra mim. o que vc acharia disso? eu devo ser atacado? os idustriais de automotivos devem ser assassinados? afinal quantas pessoas morrem por diferentes causas, por automoveis? são coisas que devem ser pensadas. os leitores dete blog são muito radicais, fiquei realmente preocupado. estou disposto a conversar com você na hora que voce quiser, posso dar entrevista, fornecer material, o que for, só não posso admitir inverdades a meu respeito, e comentarios violentos. se eu fizer um trabalho que desrespeite os ativistas, vcs não vão gostar, e vão reagir, é a forma natural de agir. então, vou tentar ignorar toda a violencia a mim direcionada, inclusive algumas pessoas falaram de minha mãe, que não tem nada a ver com a história, ninguem disse que ela é a favor de meu trabalho. as pessoas falam coisas sem pensar e fazem coisas sem pensar e é por esse excesso de insensatez que tem tanta violencia na rua. só quero um pouco de respeito. se querem falar mal do meu trabalho, maravilhoso! mas não posso admitir ameaças, provindas de uma turma que está sujando a imagem dos ativistas da natureza. quando me atacam, tambem atacam toda a classe de artistas contemporaneos. espero que esta discussão tome um rumo mais respeitoso dessa vez, com mais verdades e menos violencia. um abraço. sáude pra você.

  18. e só para reforçar o comentário do Marcos – mais amor, gente. mais amor. o ativismo deve girar em torno do amor pela vida e não pelo ódio. mais amor, e mais sabedoria, por favor!

  19. Faz parte de uma discussão civilizada dizer e ouvir verdades, certo, Fernando? A Danielle apenas relatou o objeto em que se baseia a sua “arte”: o sofrimento e a coisificação das baratas (que são seres vivos, lembra?). Eu acho que vc não deveria se considerar um artista por pintar cascas de baratas, sinceramente, isso chega a ser constrangedor. Se vc tem mesmo um talento e quer dialogar, causar reflexões, como afirmou no comentário acima, use-o para o bem, use-o com humildade. Quando vc diz, em tom de pobre vítima “voces vêm em cima de mim, um artista, sozinho, com uma ideia que não é de torturar, mas pintar uma ou outra barata. claro que ela é tão importante quanto eu no sistema todo, mas a arte ão pode deixar de acontecer. a arte incita discussões, reflexões”, vc deixa ainda mais claro o quanto desconhece que a arte deve se basear no respeito e no que vive em tudo. Se eu fosse vc, já que não se enxerga em sua arrogância e falta de inspiração, ao menos tentaria trabalhar com outra coisa. Arte não é pra vc, nem pra ninguém cuja vaidade supere a sensibilidade e o respeito pela vida. Por que insiste em se defender de algo perverso, que humilha e subjuga outros seres vivos?

  20. Ah, e antes que me esqueça: “texto sensato” para vc é tudo aquilo que diz o que vc quer ouvir? Como vc pode falar em sabedoria agindo como um torturador? Teu discurso está desalinhado com tuas ações.

  21. só uma pergunta: alguém me viu torturando alguma barata? mais uma vez: esse adjetivo não cabe à minha forma de fazer este meu trabalho, que a propósito, não é meu único trabalho. “torturador” foi inventado pela Danielle, assim como “especialista em baratas” foi inventado pela produção do Jô. e é disso que eu estou falando, a forma como a Danielle falou me coloca numa posição delicada. é uma inverdade. e é muito grave. foi irresponsável da parte dela. não conseguem perceber?

  22. outra coisa: a Danielle tanto não tem informações sobre a expo, nem se deu o trabalho de procurar, que ela começa o texto dizendo:”Apenas pessoas sádicas e que pouco sabem o que é arte são capazes de pagar para visitar uma galeria onde são expostos animais mortos depois de serem cruelmente torturados e pintados como se fossem meros objetos para contemplação” – primeiro que a exposição não é paga, a entrada é gratuita. e foi e está sendo muito bem frequentada pela nata intelectual do rio de janeiro e dos visitantes de outros estados e outros países. os animais não estão expostos. não tem nenhuma barata na expo. depois ela fala de normas de proibição do correio, que também não é o foco desse blog, e nem é da alçada dela. sobre ela ajudar na poluição, leia novamente o comentario do marcos, que é médico. concordo que sejam seres sagrados, e quem foi na exposição pode constatar meu posicionamento, nos textos que estão expostos na mostra. quando eu mostro o kit e a maneira de capturar, é quando exponho meu cuidado pela criatura, que foi uma coisa conquistada por um processo, desde o tempo que eu dava chinelada nelas até hoje. e é quando a Danielle se enrola, que não sabe se fala bem ou se fala mal da minha sugestão, que vai contra o uso de inseticidas, cuja fabricação polui nosso ar e nossas aguas. mais uma vez: ambientalismo não é meu assunto, mas usei a bioética como referência por uma preocupação pessoal, e isso só reforça o meu processo de superação do preconceito com a criatura Barata. depois ela me chama de pseudoartista, quando na verdade quem se mostrou pseudoativista e pseudojornalista foi ela. depois ela vem com esse papo de direitos dos animais pra ficar bem na fita e fechar o texto com alguma colocação que prestasse, porque as dela foram péssimas. ela não entende nada de arte, não se manifestou até agora, provando o descaso com o site, com os leitores, comigo e com a própria função, de escrever textos sobre soluções ambientais no site (fancy) dela, voces procurem no google e vejam quem paga os produtos de maquiagem importada feitos de óleo de baleia dela. eu apóio qualquer causa que seja em defesa da natureza, tenho trabalhos com aproveitamento de aluminio e plastico, quem tiver alguma curiosidade real, em vez de ficar pegando carona na polemica, que consulte o google e me ache também. como eu ja disse varias vezes, se a Danielle tivesse me procurado, teria escrito um texto muito mais rico, mesmo que fosse contra o trabalho, e não precisaria passar por essa vergonha de escrever contra um trabalho de arte contemporanea, que ela não entende nada, onde ela nem mesmo pesquisou, não sabe do que se trata e deu informações erradas. é isso que acontece com quem só se baseia naquilo que vê na televisão: fica com o pensamento raso, medíocre. mais amor, mais sabedoria e mais cultura por favor. não vou responder a comentarios que me ataquem gratuitamente. apenas aos que estejam interessados em discutir a questão do uso de criatura viva na arte, com inteligencia e respeito. inclusive acho que seria muito bom se houvesse algum encontro onde pudessemos falar sobre isso. ou um forum com convidados etc. pesquisem o trabalho de Damien Hirst, Wim Delvoye, Cildo Meireles, Habacuc, Eduardo Kac e muitos outros. parem de falar bobagem. pelo que posso perceber, o site é sério, e é importante pra mim conversar sobre essa questão com quem entenda de ambientalismo e saiba o que está falando.

  23. ATENÇÃO!!!!Fernando de La Rocque, defende no comentário acima o assassino HABACUC, aquele que deixou um cachorro morrer de fome e sede numa exposição dele para provar como a sociedade é hipócrita. Vc está se complicando porque apóia um homem, antes de tudo criminoso. A criatividade, a liberdade do artista têm limites.

  24. Não vamos mais matar baratinhas, moscas e formigas, hein, pessoal… é proibido, viu… micróbios também… sempre levem uma lupa junto pra cuidar aonde pisam, todos os modos de vida são importantes. Não matem os ácaros e deixem q os mofos se reproduzam.
    Vou escrever um texto suprérfluo cada vez q vcs pisarem numa formiga.

  25. Não é de se espantar que esse rapaz que usa, maltrata e submete a torturas seres vivos (no caso, baratas)para fazer “arte” tenha como referências pessoas como Guillermo Habacuc, um verdadeiro sádico e imbecil, que deixou um cão morrer numa exposição em nome da sua bosta de “arte”.

    Gente, que tal se o que vc chama de arte pregasse a não violência, a paz nas atitudes, a verdadeira compaixão por todos os seres? Hein, Fernando? Não é questão de querer lhe atacar ou aos seus talentos, mas não podemos admitir o desrespeito a outros seres vivos mais vulneráveis do que nós…

  26. Hitler tinha um discurso parecido com o teu, fazendo algo terrível parecer legal. Vc não é artista e nem será tão cedo. Artistas têm algo na alma que não vai na sua… Vc não está sendo perseguido, como diz, mas visto e alertado por olhares alertas, lúcidos, acordados. Isso te assusta? Olhar no espelho? O que me revolta é o teu cinismo: fazer uma atrocidade parecer um gesto de arte. Poupe-nos.

  27. Senhores, essa discussão já foi longe demais. O fato é o seguinte: o que Fernando chama de arte, nós chamamos de tortura de animais. Fernando, não se preocupe porque ninguém vai amarrar suas mãos ou cortar os seus dedos para que você pare de criar o que chama de “obra”. É indiscutível o fato de que pintar baratas é um ato de crueldade, inaceitável e injustificável. Não quero pegar carona na sua “carreira”, em primeiro lugar porque não gostaria de ter meu nome associado às atividades praticadas por você e em segundo lugar, infelizmente essa polêmica te dá mais público e visitação na sua “exposição”, porque a nata brasileira tem um gosto cultural questionável. Nós apenas lamentamos que um artista brasileiro esteja perdendo seu tempo e desperdiçando seu talento e visibilidade com atos de crueldade contra animais, qualquer que seja a espécie.

  28. Tudo que alguem pensa antes do outro e expoe, é arte. Por mais que seja banal, a gente só ve que é banal depois que a primeira pessoa fez. Enfim, cada com a sua. Barata tem sistema nervoso, sente dor sim. Porem eu mato baratas, não ligo pra quem as mata. Até poque eu não dispenso um belo Big Mac. Hipocrisia me deprime.

  29. É engraçado ver que o pseudo-artista trata da coisificação de seu suporte – seres vivos mais importantes que ele pra este planeta – com tanta naturalidade.

    Trata bem as baratas, né? Captura elas, escraviza-as, apregoa-lhes uma substância química grudenta comprometendo seu deslocamento e sua vida normal enquanto espécie dotada de coloração, textura e volume adequados às suas atividades, e só não lhes mete uma chinelada porque isso comprometeria a sua pretensa arte. Não mata porque ela viva e colorida soa melhor pro seu trabalho e é exatamente por isso que você ensina como capturá-las sem feri-las visualmente.

    Hipócrita, é isso que Fernando de La Rocque provou ser enquanto sua defesa é inconsistente e não tem coragem de assumir seu claro especismo. Muito mais digno que essa falácia toda seria assumir-se logo como uma entidade superior enquanto homem e portador do direito fascista de escravizar seres indefesos. Isso sim é asqueroso, muito mais que os dejetos que as baratas comem.

  30. Acho incrível pessoas adultas (eu acho) conseguirem comparar uma barata a um ser humano! Nem isso, a um cão ou gato, até mesmo um pequeno pássaro. É comprovado cientificamente através de pesquisas com cobaias (olha o pano pra manga), que muitos animais, insetos, répteis e outros, não possuem cérebro, muito menos terminações nervosas e em outros casos, nem mesmo sentidos, nenhum deles. No caso da baratinha, ó baratinha, não sentiu nada, nem mesmo quando morreu. A baratinha assim como muitos dos animais e seres vivos de que citei acima, provam que não sentiram medo, não sentiram pavor, angústia, adrenalina, auto-piedade, raiva… Nada. Isso acontece com muitos outros animais de muitas espécies. O Fernando não é um “torturador” como dito aqui por muitos, pelo simples fato da definição de tortura EXIGIR que haja um desacordo destes sentimentos também supramencionados, assim como exigir a existência de violência. E cuidado pessoal, isso tudo que disseram contra o artista está incluído no Código Penal Brasileiro, que concordo que não prende ninguém, mas pode dar muita dor de cabeça. Difamação e Calúnia, crimes sujeitos a detenção. Voltemos ao assunto, acho que existem pessoas hipócritas demais para tentar defender uma barata. Não coloco minha mão no fogo por nenhum destes pseudo ativistas que comentaram aqui, tenho quase certeza absoluta de que já mataram baratas suficientes para não dormirem pelo resto de suas vidas. Sinceramente!

  31. E reforçando a alguns comentários por aí, gente, sim o Fernando por mais que nem o conheça é sim mais importante que uma barata. Sejamos conscientes nisso, imagino que até mais importante que muitos dos que criticaram ferrenhamente a obra dele. Até mais importante que estes que dizem que a barata é um deus de tão sagrada, mas quando vê um animal abandonado numas das avenidas de suas cidades enquanto trafegam com seu carro celestial voador ecológico feito de papel reciclado, não param pra levar pra casa, ou para adoção. HIPOCRISIA GENERALIZADA!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui