População de lontras-do-mar do sul da Califórnia está em perigo


Causa da queda do número de lontras na Califórnia ainda é desconhecida. Foto: Wikipedia

Populações de lontras-do-mar (Enhydra lutris nereis) do sul da Califórnia caíram pelo segundo ano consecutivo, incluindo uma dramática queda nos nascimentos, segundo novos números divulgados pelo U.S. Geological Survey (USGS). Ao mesmo tempo, o dinheiro necessário para estudar e ajudar a salvar essas lontras pode evaporar rapidamente em meio à crise por que o estado passa.

A mais recente contagem de 2010 contabilizou 2.711 indivíduos, queda de 3,6% da média do ano passado. O mais alarmante é que o número de filhotes caiu 11%, aos níveis de 2003. Enquanto isso, o intervalo de lontras ao longo da costa da Califórnia já diminuiu 50 km, por razões ainda não descobertas.

Embora não exista nenhuma razão clara para o declínio, a redução em série é conhecida por possíveis causas: “Os dados sugerem que fêmeas na idade de reprodução estão morrendo em número maior que o habitual por múltiplas causas, incluindo doenças infecciosas, exposição a toxinas, insuficiência cardíaca, desnutrição e ataques de tubarão”, disse Tim Tinker, cientista do projeto de pesquisa da USGS. Tinker é professor-adjunto da ecologia e biologia evolutiva na University of California Santa Cruz (UCSC).

Existem algumas dúvidas sobre a nova conta. O Projeto Lontra – com sede em Monterey, Califórnia – aponta o total de 2.711 lontras, ligeiramente acima do ano passado. Mas os autores do estudo não acreditam ser um sinal de que os animais estejam mais saudáveis: “A contagem é sempre ligeiramente acima, o que é um bom sinal. Mas o número de crias está acentuadamente baixo, o que é um mau sinal. E os encalhes até esta data são muito ruins”, afirmou Steve Shimek, fundador do Projeto Lontra.

Tinker está conduzindo um novo estudo pela UCSC para saber mais sobre os fatores que podem prejudicar a saúde das lontras-do-mar, porém o financiamento poderá em breve deixar de existir. Parte do dinheiro disponível para estudar esses animais e ajudar a salvá-los vem do Fundo de Pesquisa do Mar da Califórnia, que paga grande parte da pesquisa com espécies e é voluntariamente financiado pelas contribuições de empresas e pessoas físicas. As doações deste ano chegaram a apenas US$ 31 mil.

Felizmente esses animais têm sido protegidos pela Lei das Espécies Ameaçadas desde 1977. Eles só podem ser retirados da lista de espécies ameaçadas de extinção se a população for superior a 3.090 indivíduos por três anos consecutivos.

Fonte: Scientific American Brasil


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

COMPANHIA

VIOLÊNCIA INJUSTIFICADA

ASSASSINATO BRUTAL

EXEMPLO

AGROPECUÁRIA

POVOS ORIGINÁRIOS

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>