41 gatinhos correm o risco de ficar à propria sorte se não forem resgatados em SP


Thalita Yorres
liayorres@gmail.com

Minha irmã e eu temos 40 gatos adultos e um filhote; minha mãe, que sempre gostou muito de animais e até recentemente morava conosco, e sempre acolheu animais de rua.

Mas agora nós temos que deixar nossa casa até o dia 30 de setembro, por causa de uma disputa judicial na qual perdemos sem condições de recorrer.

Minha mãe tem problemas cardíacos e depressão profunda e, por causa desse processo, que já durava quatro anos, ela piorou e achamos melhor levá-lá para minha tia, que mora no interior.Ela é o motivo principal pelo qual estou pedindo encarecidamente um abrigo para esses gatos, ou mesmo novos lares, pessoas que se prontifiquem a adotá-los, mesmo que fiquem separados.Já entrei em contato com várias ONGs, mas até agora não obtive resposta. Não quero jogá-los à propria sorte, isso seria a morte para minha mãe.

Moro na cidade de São Paulo, especificamente à Rua Palmira de Souza Barbosa, 84 Parque Primavera.

Contatos comigo:(11) 5565-5091 (recados), (11)8670-8599 ou  (11)6742-6420 (SP)


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

COMPANHIA

AGROPECUÁRIA

POVOS ORIGINÁRIOS

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE

AGRESSÃO BRUTAL

INDÚSTRIA CRUEL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>