Almansa proibiu corrida de touros 3 anos antes da Catalunha, na Espanha


Por Danielle Bohnen  (da Redação)

Três anos antes de Catalunha, a cidade de Almansa, na província de Albacete, na Espanha, proibiu qualquer tipo de espetáculo com touros em território municipal. A decisão foi tomada por unanimidade, sem causar confusão, como aconteceu em Catalunha, sem polêmicas, escândalos e expectativas midiáticas.

A regra de Almansa é simples: uma resolução de meio ambiente que, inclusive em relação aos espetáculos taurinos, proíbe e sanciona qualquer tipo de maus-tratos aos animais. A resolução foi aprovada durante a administração de Antonio Callado; tanto seu partido, socialista, como os populares e os independentes votaram a favor.

Os touros são representados com imagens em "encierros" simulados.

Conforme matéria do jornal La Verdad, a tramitação da resolução foi tranquila e ninguém fez objeção alguma sobre o assunto, mesmo havendo algumas argumentações contrárias, na época em que foi aprovada. Por unanimidade foi aprovada a proposta inicial, em 9 de abril de 2007; e por unanimidade foi ratificada em 23 de abril do mesmo ano; já em 25 de junho foi publicada no Boletim Oficial da Província; atualmente, continua em vigor, sem que ninguém conteste seu conteúdo.

A resolução é bastante clara em relação ao seu conteúdo, principalmente, no artigo 315, que se refere aos espetáculos públicos com animais. Seu primeiro ponto indica que “não está autorizada a celebração de espetáculos públicos, festas ou outras atividades em que se utilizem animais, que se realizem contra sua dignidade ou que impliquem em tortura, sofrimento, crueldade ou maus-tratos, bem como utilizá-los como objetos de tratamento antinatural”. Mas a parte que não deixa sombra de dúvida é o segundo ponto do mesmo artigo: “Fica expressamente proibida a celebração de espetáculos em que se utilizem touros e qualquer espetáculo taurino”.

Depois da aprovação dessa resolução, a tradição taurina tornou-se escassa na cidade. De fato, nem há mais uma praça de touros, apesar de tratar-se de uma grande população, de mais de 25.000 habitantes e de ser famosa por seu grande espírito festeiro, expresso em suas festas mouras e cristãs.

Nos últimos anos, a cidade tem passado por um movimento ecologista muito dinâmico, sendo que, em alguns aspectos, Almansa está na dianteira da vanguarda de meio ambiente de toda a Província. Nos programas das festas de Almansa, há vários tipos de atividades, mas nos últimos anos não aparecem os touros. Nem touros, nem novilhos, nem rejoneadores, nem encierros, nem vacas.

Antes de a resolução ser aprovada, as festas de touros eram comuns em Almansa. Há documentos que comprovam que, ao longo dos séculos, as celebrações aconteciam na Praça dos Touros de Almansa. Um dos incidentes mais relevantes dos últimos anos taurinos foi o grave acidente que sofreu, em maio de 1972, o toureiro Dámaso González.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SUSTENTABILIDADE

NEGLIGÊNCIA

SOFRIMENTO

PORTO ALEGRE (RS)

INSENSIBILIDADE

GOIÂNIA (GO)

MÉXICO

ACIDENTE

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>