Cidade espanhola se declara livre de circos com animais

silvana
July 28, 2010

Por Raquel Soldera e Lobo Pasolini (da Redação)

O plenário de Palma, na Espanha, aprovou nesta segunda-feira, 26, uma proposta para que não seja permitida a instalação de circos ou outros espetáculos que utilizem animais selvagens na cidade.

Segundo divulgado no jornal espanhol ABC, Eberhard Grosske, porta-voz do partido Bloc per Palma, defendeu a proposta de declarar a cidade de Palma livre de circos com animais, bem como incluir a necessidade de “ir conquistando espaço na convivência e respeito entre pessoas e animais”.

Catalina Terrassa, do grupo popular, se manifestou de maneira contrária à proposta, dizendo que a legislação de Palma já protege os animais, e observou que é preciso “respeitar a legislação em vigor” e não adotar novas medidas.

Eberhard Grosske rebateu, dizendo que “não é verdade que a legislação em vigor proteja (os animais) do que está acontecendo em circos”.

Foto ilustrativa mostra a tortura sofrida pelos elefantes nos bastidores dos circos (Reprodução/PETA Files)

“Os circos continuam com um formato totalmente ultrapassado e que se choca com os novos valores que devem reger o relacionamento com os animais”, continuou Grosske, que sublinhou a necessidade de “evoluir” e proibir que este tipo de espetáculo se realize em Palma.

Eberhard Grosske disse, ainda, que é necessário “ir conquistando espaços na convivência e respeito entre pessoas e animais.”

Llorenç Palmer, do partido Unió Mallorquina (UM) defendeu a proposta, ressaltando que os animais selvagens devem ser retirados dos circo por ser “uma aberração”, quando os pesquisadores já demonstraram que determinadas espécies não conseguem sobreviver em espaços fechados.

A proposta aprovada nesta segunda-feira torna a cidade de Palma “contrária à exibição de animais selvagens em circos”, e também insta o Parlamento a alterar a Lei de Proteção dos Animais que vivem no ambiente humano.

Palma se tornou a 37ª cidade espanhola a proibir o uso e exibição de animais selvagens e a segunda nas ilhas, que incluem Maiorca, Ibiza, Menorca e Formentera.

Fonte: AnimaNaturalis

A aprovação foi recebida com lágrimas de alegria por Ismael López, coordernador da AnimaNaturalis em Maiorca, que estava com outros 20 ativistas no plenário fazendo pressão para a aprovação da lei.

O plenário também pediu à prefeitura municipal que sejam utilizados todos os meios disponíveis para continuar garantindo a conformidade com as normas vigentes para a proteção dos animais.


Você viu?

Em busca de companhias,

Fonte: g1.globo.com Uma das

Pixabay Aproximadamente 50 ativistas

Grupo de guardas ambientais

Foto: Reprodução Youtube /

Reprodução/Instagram/@osindefesos Três cachorros tiveram

The Dodo Onyx e

Foto: Reprodução/GRAD A destruição

Foto: Pixabay A tradição

Notícias | Você é o repórter | Histórias felizes | De olho no planeta


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"cf6ff":{"name":"Main Color","parent":-1},"73c8d":{"name":"Dark Accent","parent":"cf6ff"}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default","value":{"colors":{"cf6ff":{"val":"rgb(243, 243, 243)","hsl":{"h":0,"s":0.01,"l":0.95}},"73c8d":{"val":"rgb(217, 216, 216)","hsl_parent_dependency":{"h":1,"l":0.85,"s":-0.05}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
OK
>