Mudanças climáticas: peixes deixam de “sentir o cheiro do perigo”


O elevado nível de acidez das águas, que aumentou paulatinamente ao longo do século XX, está tirando dos peixes uma importantíssima habilidade: o olfato. A elevação da temperatura dos oceanos aumenta a dissolução de dióxido de carbono na água do mar. O excesso de CO2, por sua vez, torna a água mais ácida. Um novo estudo em Belfast (Irlanda do Norte) está concluindo que a acidez da água está causando disfunções olfativas nos peixes de água salgada.

Sem olfato, os peixes têm um prejuízo que lhes pode custar a própria sobrevivência: sem poder sentir o cheiro de predadores, tornam-se ainda mais vulneráveis a eles. Em alguns casos, segundo os pesquisadores, eles acabam sendo até atraídos para os predadores. O nível de acidez no mar, além de ter consequências como prejudicar o crescimento de mariscos, que não desenvolvem corretamente sua concha, pode desequilibrar a cadeia alimentar com a incapacidade dos peixes de fugir de predadores.

Foto: Reprodução/Hype Science

Os pesquisadores ainda não detectaram o motivo da perda de habilidade olfativa, mas com a elevação da temperatura dos oceanos esse fenômeno só deve aumentar.

Fonte: Hype Science


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AMOR

VIDA NOVA

RIO DE JANEIRO

ALTERNATIVA VEGANA

GENEROSIDADE

REABILITAÇÃO

EMPATIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>