Centenas de cães e gatos estão sendo mortos no interior do Rio Grande do Norte


(da Redação)

A morte em massa e repentina de animais está deixando em pânico a população do município de Lagoa de Velhos, localizado a 97 km de Natal (RN). Segundo denúncias de moradores, desde o dia 3 de julho passado, cachorros e gatos estão aparecendo mortos na cidade, e tudo indica que a causa é um veneno conhecido como “chumbinho”, produto clandestino e irregularmente utilizado como raticida.

Só na tarde do dia 15, quinta-feira, 15 cachorros foram queimados no lixão próximo à cidade, isto porque até os urubus que estão se alimentando dos animais mortos estão morrendo. Desde que começou a matança dos cães e gatos, já morreram em torno de 500 urubus. O que leva a crer, de fato, que estão usando veneno para eliminar os animais.

(Foto: Milena Lira/Divulgação/D.A Press)

A estudante Milena Carla de Lira, moradora de Lagoa de Velhos, disse que a população está desesperada. Segundo ela, são cerca de 10 cachorros mortos por dia, além de um número maior de gatos, que a estudante não teve condições de contar. “Os cachorros ficam espumando e se batendo. Todo mundo está revoltado. A gente quer saber que veneno é esse, porque até os urubus que comem os cachorros estão morrendo. Até agora ninguém viu nada, nem flagrou alguém dando veneno para os cachorros. A gente acha que eles fazem isso de madrugada. Sei que as pessoas que ainda têm cachorro vivo estão com medo, e as crianças estão trancadas dentro de casa”, disse Milena.

A administração municipal é apontada, por algumas pessoas, como responsável pelo crime, já que as mortes começaram a acontecer depois que um carro de som anunciou, durante 15 dias, a ordem de que os tutores deveriam retirar seus animais das ruas. “Passaram esse carro que dava a ordem para que quem tivesse seus bichos os recolhesse porque a partir do dia 1º de julho a prefeitura tomaria as providências. Depois desse dia vem morrendo gato, cachorro, ratos. Estamos com medo de crianças se envenenarem”, argumentou.

(Foto: Milena Lira/Divulgação/D.A Press)

O acontecimento se tornou tema de debates num site de relacionamentos da internet. Na comunidade “Eu amo Lagoa de Velhos”, alguns moradores discutem as possíveis razões das mortes e compartilham a preocupação com os envenementos.

O espaço também foi utilizado pelo chefe de gabinete da prefeitura, Osvagrio Ferreira de Oliveira, conhecido na cidade como Vaguinho, para se defender das acusações feitas contra ele. “Fui surpreendido com a informação que eu ordenei o envenenamento de todos os cachorros soltos nas ruas. Quero aproveitar este espaço para me defender dessa acusação leviana e mentirosa. Jamais faria isso, e estou lutando para tirar das ruas todos os cachorros doentes e farei isso a pedido da população”, declarou.

(Foto: Milena Lira/Divulgação/D.A. Press)

Chefe de gabinete diz que acusações são políticas

Diante das denúncias contra a administração, Vaguinho  explica que, de fato, um carro de som circulou pela cidade. No entanto, a orientação sobre recolher os animais não era direcionada a cachorros e gatos. “Baixamos um decreto, que é específico para animais maiores, como jumentos, vacas, cavalo e até porcos. Esses bichos estavam circulando pela cidade e causando transtornos, inclusive o risco de acidentes. Não falamos em cachorro e gato. Pedimos que os tutores de animais os retirassem da rua, caso contrário seriam apreendidos. Mas, para se ter uma ideia, nenhum animal foi preso”, afirmou.

O chefe de gabinete disse ainda que toda cidade de interior sofre com o problema dos jumentos largados pelas ruas. “Antes as pessoas usavam o bicho para pegar água e como meio de transporte. Mas hoje, as adutoras e as motocicletas mudaram essa história. Os jumentos foram abandonados. A prefeitura, no entanto, não pode matar esses animais e a alternativa é encaminhá-los para outros municípios. Mas eles acabam sendo mandados de volta. Isso não muda. Em todo o estado existe isso e as autoridades nunca pensaram em resolver”, afirmou.

Já pedimos à polícia para investigar, mas em cidade pequena não tem polícia investigativa. O apelo que faço é que as pessoas fiquem atentas e, caso suspeitem de algo, nos procure, ou façam denúncias anônimas para que a gente possa procurar os culpados”, disse.

Polícia começa a investigar mortandade de animais

Segundo reportagem do Diário de Natal, a Polícia Civil iniciou as investigações em Lagoa de Velhos, para descobrir o que está motivando a morte de diversos animais no município desde o último dia 3.

O titular da Delegacia de São Paulo do Potengi, responsável por Lagoa de Velhos, Petrus Antonnius, não recebeu nenhuma denúncia sobre a mortandade dos bichos, mas afirmou que uma equipe está investigando a motivação das mortes. “Precisamos saber se foi doença ou envenenamento. Devo pedir ajuda a algum órgão do estado ou um veterinário”, disse o delegado. Petrus, que também é titular em outras delegacias da região, informou que estava se deslocando para Lagoa de Velhos para tentar colher mais dados sobre as mortes.

Nota da Redação: Doença? Qualquer ser com o mínimo de discernimento conclui pelos fatos que trata-se de um crime. A demora em apurar pode significar mais e mais vítimas. Quem está fazendo isso pode ser considerado um serial killer. Esperamos que a administração e a população da cidade se mobilize para acabar com essas mortes e descobrir o(s) culpado(s). Ou Lagoa de Velhos quer ser conhecida no Brasil como uma cidade exterminadora de cães, gatos e outros animais?


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AGROPECUÁRIA

POVOS ORIGINÁRIOS

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE

AGRESSÃO BRUTAL

INDÚSTRIA CRUEL

ECONOMIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>