Protetora que resgatou 30 gatos do abandono espera que os animais sejam adotados


A operária Marlene Suldan, 47 anos, sempre gostou de gatos, mas foi depois das enchentes de 2008 que virou uma protetora dos bichos, transformando sua casa em abrigo, no bairro Ilha da Figueira, em SC.

“Naquele ano, a gente saiu pela vizinhança para ver se alguém precisava de ajuda. Foi quando encontrei uma gata com cinco filhotes que se abrigava da enxurrada em cima de um muro”, recorda.

Agora, os animais maltratados também são recolhidos.

Hoje, a voluntária da Associação Jaraguaense de Proteção dos Animais (Ajapa) mantém 30 animais em um espaço fechado, construído pelo marido, Vilmar. O filho Elden também ajuda.

Mesmo com toda a dedicação, a operária afirma que não é fácil manter o abrigo. Os gatos fazem duas refeições diárias, consumindo uma média de três sacos de 25 quilos por mês. A Ajapa ajuda com parte da ração e as despesas com tratamento veterinário.

“Mesmo assim, nossa despesa com alimentação e hospedagem fica em torno de R$ 700 por mês. Por isso, a gente pede à população que nos ajude”, ressalta Marlene. A principal ajuda é adotando um dos gatos. A comunidade também pode colaborar doando ração.

Com informações de A Notícia


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRUELDADE

SINERGIA

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL

INESPERADO

ASCENSÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>