Quercus consegue adiamento de remoção de ninhos de aves protegidas em Portugal


O Ministério do Ambiente de Portugal suspendeu nesta quarta-feira (7) os trabalhos para retirar ninhos de uma muralha em Elvas, onde nidifica uma das maiores colônias de andorinhão-preto do país, como providência cautelar interposta pela Quercus (Associação Nacional de Conservação da Natureza).

A Quercus avançou na segunda-feira (5), no Tribunal Administrativo e Fiscal de Castelo Branco, com uma providência cautelar para suspender a eficácia da licença da remoção de ninhos.

“O que nós queremos, em nome do bom senso, da transparência e de danos que podem ser irreversíveis, que seja adiado por 48 horas a remoção dos ninhos”, afirmou o vice-presidente da Quercus, Nuno Sequeira.

Conforme noticiado na ANDA em junho, as autoridades pretendem retirar os ninhos da muralha da Igreja de São Paulo, um espaço que pertence ao Exército, para proceder à demolição da respectiva muralha que, segundo as autoridades, está em risco de ruir.

A Quercus considera que a remoção dos ninhos poderá provocar a morte da maioria das crias. De acordo com Nuno Sequeira, trata-se de uma operação que está condenada ao fracasso, uma vez que o acesso aos ninhos é limitado.

“E as poucas crias que sairão daqui (retiradas pelo ICNB) estão condenadas à morte dado que a taxa de sucesso deste tipo de aves em cativeiro situa-se entre os zero e cinco por cento”, acrescentou.

Entretanto, o ICNB pediu ao Exército para avaliar a possibilidade de se suspender a obra até à conclusão da nidificação na colônia e a alternativa de ser criado um perímetro de segurança para evitar riscos para a segurança pública.

O Exército informou o ICNB do risco de desmoronamento e da não exequibilidade de um perímetro de segurança, considerando que o adiamento dos trabalhos de demolição colocaria em risco vidas humanas, argumentos que levaram à emissão da licença extraordinária do instituto.

O ICNB comprometeu-se a tentar maximizar as possibilidades de recolha dos espécimes da colônia, que serão encaminhados para os seus centros de recuperação de animais selvagens.

Com informações da TVI 24


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA

JAPÃO

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO SONORA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>