Equipe que recolheu cavalo caído em Porto Alegre resgata mais de 30 equinos por mês



Por mês, entre animais soltos na via e maltratados, cerca de 30 cavalos chegam ao abrigo da EPTC (Foto: Ronaldo Bernardi)

A triste cena de um cavalo caído, agonizando de cansaço, chocou os moradores da Avenida Protásio Alves, em Porto Alegre (RS), na última quarta-feira (clique aqui para ler a notícia). Entretanto, para os responsáveis da recuperação do animal, o problema é costumeiro.

Por mês, entre animais soltos na via e maltratados, cerca de 30 cavalos chegam ao abrigo da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) com feridas, cascos machucados e dores na musculatura e articulação.

“Isso para nós é normal. Ontem, junto com ele, chegaram mais dois. É uma situação corriqueira. Esses animais não têm mais força para puxar a carroça, os arreios machucam, o proprietário bate e machuca eles. A maioria vem com o lombo arrebentado pela carga excessiva”, aponta o proprietário do abrigo, Carlos Augusto Machado, 39 anos.

“Infelizmente, recebemos uns 30 cavalos por mês”, enumera.

Há dois anos como veterinária do abrigo, Rocheli Oliveira, 30 anos, espanta-se com as feridas dos animais que chegam ao local. O abrigo da EPTC recebe, trata e recupera os animais encontrados nas ruas da Capital. Atualmente, mais de 90 animais de grande porte são atendidos no local, que funciona no bairro Belém Novo.

“São lesões de maus-tratos. No caso de cavalos, lesões onde a carroça não pega, feitas por instrumento pontiagudo. Eles (os carroceiros) vão cutucando até o animal não aguentar mais”, aponta Rocheli.

Batizado de Jabulani, cavalo passa bem

Cuidado pelo abrigo, o cavalo que agonizava na última quarta-feira se recupera bem. Com sinais de desnutrição, desidratação e vítima de ferimentos infligidos pelo antigo tutor, o animal já consegue ficar em pé e se alimenta sem auxílio dos tratadores. No abrigo, a equipe batizou o cavalo de Jabulani, uma referência à bola do Mundial.

Fonte: Zero Hora


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SAÚDE

GOIÁS

NOVA JORNADA

HONG KONG

AFETO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>