Congresso peruano proibirá o uso de animais em circos


Por Antoniana Ottoni  (da Redação)

A organização de proteção e defesa do bem-estar animal Animal Defenders International (ADI) está radiante em saber que a Lei que proíbe o uso de animais em circo no Peru está em sua última etapa. No dia 17 de junho de 2010, a junta de porta-vozes do Congresso Peruano expediu um acordo dizendo que o projeto deveria ser discutido em plenário com regime de prioridade.

O projeto de lei que proíbe o uso de animais em circo foi apresentado originalmente pelos congressistas Alejandro Rebaza e José Urquizo. E, seguido de uma intensa campanha política liderada pela ADI, o projeto foi aprovado pela maioria de membros da Comissão Agrária e da Comissão de Povos Andinos e Ecologia. Agora, o PL está em uma lista de espera disputada e aguarda para o debate final no plenário. Enquanto isso a junta de porta-vozes chega a um acordo a seu respeito.

A última sessão do plenário será esta semana, após haverá um recesso da atividade legislativa. O Congresso tem uma grande quantidade de projetos de lei para debater, razão pela qual, se não houver debate esta semana, sobre a proibição do uso de animais em circo, o projeto será enviado à Comissão Permanente para ser aprovado até final de julho.

O lançamento da campanha “Basta de Sofrimento nos Circos” no Peru se realizou com o apoio de outros grupos peruanos de proteção animal, e revelou cenas perturbadoras sobre a indústria do circo no Peru. Os investigadores da ADI trabalharam de maneira secreta nos circos e observaram:

– Um grupo de quatro leões surrados e maltratados, obrigados por meio da força a atuar. O grupo vivia em pequenas jaulas na carreta de um caminhão, sem acesso à luz do sol.

– Um treinador de maneira violenta empurrando um leopardo e um macaco-prego. Estes animais viviam confinados em pequenas caixas de madeira e eram também mantidos amarrados e expostos diretamente ao público.

– Três ursos viviam em um espaço no qual podiam apenas se mover, em jaulas na traseira de um caminhão. Seu único exercício era sair do espetáculo e voltar.
O governo peruano ficou muito chocado com as condições de vida impostas a esses animais pela atividade circense. Como resultado, o Serviço de Saúde Nacional (SENASA), o Instituto de Recursos Naturais (INRENA) e a Junta Diretiva do Parque Las Leyendas se pronunciaram a favor da aprovação do Projeto de Lei. Mais recentemente, o Ministério da Agricultura requereu ao Congresso que aprove esta legislação, e expediu uma resolução para aprovar um regulamento técnico, que cuidará dos animais selvagens e exóticos dos circos.

Jan Creamer, Diretora Executiva da ADI, se pronunciou a respeito dizendo: “Pedimos de maneira especial ao Congresso Peruano para dar a aprovação final ao projeto de lei que proíbe o uso de animais em circo. Este projeto é um exemplo definitivo de uma legislação progressiva e mostrará que o Congresso Peruano é um exemplo a ser seguido na América do Sul, da mesma maneira como o Congresso Boliviano pode mostrar aprovando a mesma lei há um ano. Estamos muito agradecidos por contar com o apoio do Ministério da Agricultura e aplaudimos os esforços do Senador Urquizo por levar o projeto até esta instância”.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

MAUS-TRATOS

HABITATS DESTRUÍDOS

OMISSÃO

ECONOMIA CIRCULAR

DEDICAÇÃO

TECONOLOGIA

COMPAIXÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>