Veterinário impostor atendia animais 24h e em domicílio na Inglaterra


Por Marcela Couto (da Redação)

Um falso veterinário conseguiu montar seu próprio serviço de emergência para animais doentes na Inglaterra, com auxílio da parceira que se passava por assistente.

Foto: Express & Star

O nigeriano Olanrewaju Oduloju roubou a identidade de um médico verdadeiro e usou seu nome para distribuir receitas e comprar remédios veterinários, de acordo com a justiça de Stafford.

Sua companheira, Lynda Lerwill-Carter, também tratava animais em domicílio, fingindo aplicar-lhes injeções e oferecendo conselhos inapropriados aos tutores. Ela interpretava uma enfermeira veterinária, mas, na verdade, mantinha uma espécie de camelô vendendo ração para animais.

De acordo com o site Express & Star, a suposta clínica, chamada “Canalside Mobile Vets Clinic”, funcionava na própria casa dos acusados, na cidade de Rugeley. Porém, eles possuíam equipamentos mínimos, nenhuma qualificação e não tinham autorização legal para a prática.As informações são do promotor Kevin Saunders.

O oficial ainda revelou que o casal vestia uniformes com a marca “Vets on Call” (veterinários em domicílio) e chegou a simular cirurgias em animais.

Oduloju utilizou a identidade de um profissional registrado no Reino Unido, com um sobrenome nigeriano.

“Esse caso é especialmente cruel por se tratar de um serviço 24 horas e em domicílio,” disse Saunders. “As pessoas os buscavam porque seus animais estavam em uma situação de emergência.”

Eles foram pegos depois que uma vítima questionou suas qualificações para a polícia.

Oduloju, 39, e Lerwill-Carter, 51, admitiram os crimes contra as leis veterinárias. O homem também foi condenado por roubo de identidade e teve sua sentença de 26 semanas de prisão substituída por serviços comunitários, assim como sua parceira.

O advogado de defesa, Walter Bealby, disse que seu cliente era um veterinário qualificado na Nigéria e que teria boas referências na Universidade de Cirurgiões Veterinários de seu país. Ele também afirmou que o negócio ilegal teve poucos atendimentos.

O advogado de Lerwill-Carter, por outro lado, defende que sua cliente conheceu Oduloju em um bar e que desde então ele a usou em seus planos.

Ao proclamar a sentença, o juiz disse a Oduloju que não existiam provas de sua qualificação na Inglaterra: “O público acreditou que você era um veterinário qualificado neste país, mas agora todos sabem que não passa de um completo charlatão.”

Apesar dos comentários ácidos, a pena de serviços comunitários não parece fazer jus ao risco que correram os animais negligenciados.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VAQUINHA ON-LINE

FINAL FELIZ

LEALDADE

COMPROMISSO

ESPECIAL

MAUS-TRATOS

FELICIDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>