Contra protetores, empresas exploradoras de animais querem lei repressora


As empresas  brasileiras exploradoras de animais estão pressionando o governo a tomar severas medidas contra o crescimento do movimento de proteção aos animais no país. “Pacatas velhinhas se transformaram em terroristas da noite para o dia”, frisou uma fonte da inteligência no Brasil. O propósito da lei é o de intimidar e inibir a liberdade de expressão.

Foto: Reprodução/USA Confidential

Em 2007, nos EUA, o congresso aprovou, por  unanimidade, a sinistra “Animal Enterprise Terrorism Act” (AETA). A lei manda qualquer cidadão para a cadeia de cinco a vinte anos, seja ele terrorista ou não se tiver dado prejuízo a uma empresa.

Foto: Reprodução/USA Confidential

Se  a empresa provar um prejuízo maior do que de $10 mil dólares (R$ 18 mil) causado por qualquer ato ou campanha patrocidada por ativistas ou organizações, entidades, instituições ou grupos, a lei pode ser aplicada.

A mentora da facista lei foi a senadora democrata da Califórnia Dianne Feinstein. As empresas brasileiras de exploração animal aspiram e propõem lei similar no Brasil.

Com Informações do USA Confidential





Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

FELICIDADE

TRATAMENTO MÉDICO

PROGRESSO

GANÂNCIA

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL

COREIA DO SUL

VEGANISMO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>