Tutora reclama da falta de lixeiras para jogar os dejetos dos animais, em Canoas (RS)


Eunice Zimmer
via Zero Hora

Moro na Rua Mathias Velho e como boa cidadã e baseada na lei 4.266/98, que diz que o tutor de bichos de estimação é responsável pelo recolhimento dos dejetos do seu animal, eu recolho as fezes do meu cachorro. No entanto, fiquei surpresa quando, após um passeio, fui colocar o material retirado das ruas – e embalado em um saco plástico – no carrinho de recolhimento de lixo de um funcionário terceirizado da prefeitura.

Fui informada de que não poderia colocar as fezes do meu cão ali e que o funcionário não faz esse tipo de trabalho. Fiquei pensando: Se não posso colocar no lixo e a prefeitura não disponibiliza lixeiras adequadas para este dejeto, onde colocá-lo? Se as pessoas contratadas para varrerem as ruas não recolhem fezes de animais, quem vai recolher?

Diariamente, os meios de comunicação despejam em cima do cidadão as suas obrigações. E quando a gente tenta fazer a coisa certa, esbarra em descaso. O que fazer?

O que dizem as secretarias da Saúde e de Serviços Urbanos, por meio da assessoria de imprensa

Os funcionários do serviço de varrição de Canoas (RS) estão instruídos e treinados a não coletar esse tipo de material por ser orgânico. O serviço de limpeza recolhe apenas resíduos como folhas, papel e plástico. Os funcionários recebem insalubridade, no entanto, o grau ao qual estão expostos não contempla tal dejeto. Caso os mesmos recolham fezes de animais, isso poderá gerar um passivo trabalhista para a empresa. É por esse motivo que o funcionário agiu corretamente (e de acordo com as normas) ao se negar a recolher. Portanto, sugerimos que a moradora recolha o resíduo de seu animal, como de costume, e coloque em uma lixeira para que seja recolhido pelos coletores do lixo domiciliar.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA

JAPÃO

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO SONORA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>