Barra de Guaratiba é área endêmica de leishmaniose visceral americana (LVA)



Foto: Foto Web

Barra de Guaratiba, no Rio de Janeiro, é área endêmica de leishmaniose visceral americana (LVA) e as campanhas de controle não têm sido capazes de reduzir a infecção canina. O bairro apresenta uma área de Mata Atlântica que recobre a montanha que se estende, em determinados locais, até o litoral. Os cães foram coletados de duas áreas distintas sendo que, em ambas, havia casas localizadas dentro da mata. Na primeira, as casas atingiam até 50 m de distância da mata e na segunda área até 700 m. A soroprevalência canina em Barra de Guaratiba, após 12 meses de estudo, foi de 25% (30 em cada 120 animais), incluindo os que soroconverteram no decorrer do acompanhamento.

A transmissão da Leishmania se faz pela picada de uma mosca do tipo Lutzomyia, também conhecido como mosquito-palha, tatuquira, asa-branca, cangalinha, asa-dura, palhinha ou birigui. Mais detalhes poderão ser encontrados nos Cadernos de Saúde Pública. De modo geral, o sacrifício dos animais infectados é a prática usual nesses casos, entretanto a prática é contestada já que, obviamente, o combate ao mosquito e a vacinação em massa seriam mais eficazes. Estas e outras informações em defesa dos animais podem ser encontradas no Portal Nosso Mundo.

Foto: Foto Web

Preocupados com o assunto, os legisladores aprovaram, em abril, uma lei que determina que a segunda semana do mês de julho seja dedicada, anualmente, à conscientização e prevenção da leishmaniose humana e animal, também conhecida como úlcera de Bauru. A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou, no último dia 28 de abril de 2010 em segunda discussão, o projeto de lei 2.032/09, que cria a campanha, defendida pelo deputado Sabino (PSC). Ela será dedicada aos quatro tipos da doença, que é provocada pelo protozoário Leishmania: visceral, cutânea, mucocutânea e canina. Segundo Sabino, a campanha se justifica pelo aumento de casos por todo o País.

“Essa é uma doença que já atinge mais de um milhão de brasileiros, com tendência a aumentar. Fora o fato de que ela ainda é pouco diagnosticada. Então, o objetivo é informar a população e também os agentes de saúde seus sintomas e formas de tratamento”, explicou o parlamentar.

O projeto foi enviado ao governador Sérgio Cabral, que tem 15 dias úteis para sancionar ou vetar o texto, que incumbe o Poder Executivo, por meio de órgão próprio, de promover programas educativos. Eles deverão esclarecer as características, os sintomas e o tratamento da doença por meio de cartazes, cartilhas e folhetos explicativos, que deverão ser disponibilizados nos postos de saúde, nas escolas e nas instituições públicas de todo o Estado. Há ainda a previsão de que o Estado elabore material para ser distribuído em hotéis, bares e restaurantes.

Com informações do Portal Guaratiba




Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRIME AMBIENTAL

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>