Problemas de pele dos animais de estimação exigem atenção


Coceiras intensas, lambidas constantes e mordeduras nas patas são os primeiros sinais de que o animal precisa visitar um veterinário para diagnosticar se há algum problema dermatológico, como uma alergia.

Em cães e gatos, por exemplo, se a coceira for contínua, torna-se um grande transtorno. Neles, os problemas de pele estão mais relacionados à estrutura do tecido do que à quantidade de bactérias que o animal tem sobre o corpo, explica a veterinária Isabella Vincoletto.

Segundo ela, os sintomas clínicos mais comuns relacionados aos problemas dermatológicos são também perda de pelos e o odor desagradável. Outros sintomas relacionados a alergias são pelos escassos e sem brilho e engrossamento da pele. Em casos alimentares, podem ocorrer vômito e diarreia. “Em alguns casos o tutor nem percebe que o animal tem alguma predisposição”, diz a especialista.

Diagnóstico

“As causas das alergias e dos problemas de pele muitas vezes tem origem genética, dificultando a prevenção. É aconselhável, aos primeiros sintomas, procurar um veterinário para diagnosticar o problema, para que a coceira não se agrave e o animal não chegue a machucar-se, ferindo a pele e, assim, permitindo a contaminação e a infecção do tecido”, ressalta Isabella.

Ainda que existam algumas raças mais predispostas, qualquer animal pode manifestar os sintomas e desenvolver problemas de pele, diz a especialista. Hoje em dia, reforça ela, já existem exames eficazes, como raspados de pele, citologia e exames de sangue, que auxiliam o veterinário a um diagnóstico mais preciso para determinar as causas dos problemas dermatológicos. “Além do tratamento, que pode envolver vacinas manipuladas e medicamentos para diminuir a inflamação e a coceira, é de extrema importância realizar a assepsia do ferimento ou lesão.”

Cuidados

De acordo com Isabella, apesar da dificuldade de evitar as causas do aparecimento dos problemas de pele, principalmente nos animais com predisposição, é importante tomar alguns cuidados, entre os quais limpar frequentemente o local onde o bicho costuma dormir, escovar diariamente a pelagem do animal e evitar que ele ande ou permaneça sobre superfícies molhadas.

Principais tipos de alergia do cães

Dermatite alérgica (picada de pulga) – É um tipo muito comum, causada pela saliva da pulga. São necessárias apenas algumas picadas para começar o problema. Ocorre, em geral, em cães que tenham entre três e quatro anos.

Alergia alimentar – Geralmente, pode ser causada por ingestão de carne de vaca ou de porco e derivados de leite, milho, trigo e soja. Conservantes ou corantes também podem ser alergênios.

Alergia de contato – Acontece quando o animal tem um contato constante com algo com o qual é sensível, como produtos químicos. Geralmente, ela se desenvolve nas patas e na região anal.

Dermatite atípica – É uma predisposição a desenvolver problemas de pele quando em contato com partículas normalmente inofensivas, como pólen, plantas, gramas, ervas, pó, ácaros, fungos, bolores etc. Algumas raças, como lhasa apso, labrador, sharpei e pug, são mais predispostas a contrair a alergia.

Fonte: Gazeta de Piracicaba


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROTEÇÃO ANIMAL

VITÓRIA

INVESTIGAÇÃO

FLÓRIDA

JAPÃO

AVANÇO

COMPORTAMENTO

'SAVE RALPH'


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>