Polvos e Lulas felizes: Como são e do que precisam…


Os polvos e as lulas são invertebrados com grandes cérebros e uma surpreendente complexidade neurológica. Muito inteligentes, os polvos e as lulas são seres com uma avançada capacidade para experienciarem o sofrimento, sendo sensorialmente muito delicados.

São animais com um comportamento social e com capacidades cognitivas até recentemente pensadas como impossíveis nestes, e atribuídas exclusivamente a grandes verterbrados – por isso, os polvos, as lulas e outros cefalópodes têm atraído grandemente a atenção de vários cientistas. Em estudos, ficou provado que os polvos são capazes de aprender, reter memórias e utilizar conhecimentos apreendidos para resolverem problemas.

Ficou também provado que sentem e sofrem de stress sempre que estão presos e não podem exprimir o seu comportamento natural, que passa muito por explorar aquilo que encontram e o ambiente em que estão com os seus enormes e altamente complexos tentáculos. Estas são características que, no essencial, partilham com as lulas. Os polvos são capazes de planejar ações e de as executar de acordo com um objetivo que traçam para favorecer a sua vida e sobrevivência. Os polvos têm uma esperança média de vida curta, que normalmente não ultrapassa um ano.

Com uma vida social quase inexistente – os polvos e as lulas são animais muito solitários –, o fato de serem animais tão inteligentes é especialmente notável, uma vez que muitos cientistas acreditam que o grau de desenvolvimento da inteligência e da consciência dos animais (incluindo dos humanos) é proporcional à sua sociabilidade e às necessidades que decorrem desta.

… e como a indústria alimentar os trata

De uma maneira muito simples, os polvos, as lulas e outros cefalópedes precisam de muito pouco para terem uma vida natural, mas o pouco de que precisam é vital para eles: viver no seu ambiente natural sem serem retirados para serem mortos e cozidos.

Fonte : Animais Excepcionais



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CONSERVAÇÃO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

MAUS-TRATOS

HABITATS DESTRUÍDOS

OMISSÃO

ECONOMIA CIRCULAR

DEDICAÇÃO

TECONOLOGIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>