Cavalos explorados para carregar peso sofrem ainda mais com o forte calor


Marcelo Agnelli
portoalegremelhor@hotmail.com

Se você acha que não tem sido fácil para os gaúchos conviver com o forte calor dos últimos dias, agradeça por não ser um cavalo do asfalto.


Foto: arte sobre foto de Zero Hora
Foto: arte sobre foto de Zero Hora


Conforme o químico Jivaldo do Rosário Matos, da Universidade de São Paulo, quando a temperatura ambiente está a cerca de 40 ºC, o asfalto pode chegar aos 60 ºC.

Mal ferrados, puxando carroças sobrecarregadas, velhos, doentes, famintos, sedentos e trafegando junto a veículos pesados que ameaçam suas vidas a todo instante, os animais-símbolo dos gaúchos passam por um escruciante inferno dia após dia.

Como se todos estes suplícios não fossem suficientes, ainda há o braço que segura o relho, sempre pronto a bater ao menor sinal de cansaço.

Da próxima vez que sentir calor em Porto Alegre, lembre-se dos cavalos do asfalto.

Se você deseja receber nossas notícias cadastre-se em nosso site: www.portoalegremelhor.org


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

EMPREENDEDORISMO

AÇÃO HUMANA

CONSCIENTIZAÇÃO

ABUSO

ÓRFÃO

COREIA DO SUL

SOB INVESTIGAÇÃO

RETROCESSO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>