Cras recebeu 2,2 mil animais silvestres em 2009


O Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) recebeu, somente no ano passado, 2.257 animais oriundos de recuperação do tráfico, resgates em áreas urbanas, queimadas, incêndios florestais ou entregas voluntárias. Desde sua criação, em 1988, pelo governo eestadual, cerca de 26.379 animais já passaram por lá.

Segundo o Cras, do total de apreensões, 68% são aves, 20% são mamíferos e 12% são répteis. Entre as espécies comuns, que mais são visadas para o tráfico estão o papagaio-verdadeiro, curió, canário-da-terra, tucano, arara-canindé, pássaro-preto, macaco-prego, gambá-de-orelha-branca, quati, sagui-de-tufo-preto, veado-catingueiro, jabuti, jiboia, cágado, caiçaca, sucuri e falsa-coral.

Os animais enviados ao Cras passam por triagem e a prioridade é o retorno deles à natureza após a reabilitação. Os animais que não podem voltar ao ambiente, como as onças, são remanejados para criadouros conservacionistas ou zoológicos.

A PMA (Polícia Militar Ambiental) alerta a população e turistas para que não tentem comprar ou capturar os animais silvestres, já que desde 2008 a lei ficou mais severa, principalmente para animais em extinção.

De acordo com a Renctas (Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres), organização que combate o tráfico de animais silvestres, o Brasil possui cerca de 1.800 espécies de aves, o que representa 20% das 9 mil espécies existentes no mundo. No entanto, é o primeiro em número de espécies em extinção, já que das 1.212 aves ameaçadas no mundo, 120 estão no País.

Serviço

As visitações ao Cras são realizadas às terças-feiras, quintas-feiras e sábados, por meio de agendamento feito pelo Parque Estadual do Prosa, somente pelo telefone (67) 3326-1307. As pessoas que quiserem fazer doações voluntárias de medicamentos, rações, frutas e carnes devem entrar em contato com a administração do Centro.

Com informações do Capital News


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TECNOLOGIA

DESUMANIDADE

ACOLHIMENTO

EFICIÊNCIA

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>