Reflexão para a noite de Natal

Jesus não é um Pateta!

Por Paulo Fradinho
[email protected]

Há quase 50 anos me deparo com este mesmo dilema: expressar amor, gratidão, votar aos familiares e amigos que tenham dias melhores e um futuro onde todos os desejos se realizem… ou falar do meu desapontamento pela forma como comemoramos o “Natal”!

Recebo quase diariamente lindas mensagens exaltando as maravilhas do espírito humano, e quase me esqueço da nossa “desumanidade”…

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Mas então, Jesus, o ‘manso’, ‘o cordeiro de Deus’, adentrou os templos e expulsou aos gritos e safanões aos vendilhões e aos criadores de animais para sacrifício…

Disse: “Eu vim para trazer a espada, não a paz.”

Sintomático.
Embora hoje me pareça clara como o dia, esta afirmação de Jesus perdurou em mim
como um mistério por muitos anos. Se a “paz” é o ‘manto’ sob o qual se escondem as iniquidades da espécie humana… opção (a), escolherei a espada!… e, portanto,
não vos desejarei a “paz”.

Assim que juntar os ponteiros, o relógio vai bater meio-noite e vamos nos abraçar, estourar fogos de artíficios, trocar afagos e presentes, e dar continuidade aos ‘ritos natalinos’…

Nos debruçaremos sobre a mesa farta de produtos que seguiram uma rota sinistra (de horror e de lágrimas ) para tingir de vinho e sangue o branco das nossas toalhas. Isto porque uma parte dos convidados já chegou morta e, até onde sei, não teve oportunidade de se defender, o que era de se esperar, afinal de contas os carrascos foram muito bem pagos, e até publicidade em rede nacional fizeram com o dinheiro que lhes compramos o “serviço”!

Um brinde ao mundo “civilizado”!
Oh, podem ficar intrigados comigo, eu não ligo, pois também estou intrigado convosco mas por motivo diverso, evidentemente.

Sabe, há uma fileira imensa de pessoas que trabalharam na sua comida até ela chegar no seu prato; e o problema é que algumas delas ainda estão, dos pés à cabeça incluindo-se aí suas consciências entorpecidas, manchadas com sangue de seres que lutaram por suas vidas até o último suspiro!

E acontece que eles perderam, infelizmente!
…mas, e vocês, eu pergunto: …ganharam o quê?!

E esta é a miséria da condição humana, fruto obscuro de escolhas igualmente funestas!

Se alguém me dissesse que o tênis que uso para caminhar é fruto da exploração, estupro e assassinato de crianças, falaria a todos sobre esse horror, jogaria os calçados no lixo, faria uma campanha contra o fabricante e, sem dúvida, passaria a usar outra marca!

Mas então relato às pessoas um fato real e cotidiano; o que elas comem é fruto da exploração, estupro, tortura e assassinato de milhões de animais que sofrem horrores desde o dia em que nascem; que suas mortes são trágicas e tremendamente sofridas; que isso ocorre todos os dias e continuará ocorrendo até que elas, as “pessoas”, se tornem conscientes e parem de consumir animais!

Mas aí vem faceiro… o “Natal”!
E, por ocasião do nascimento de Jesus, o filho de Deus….  músculos, tendões e farrapos gordurosos de animais açoitados, torturados, fritos, enfarinhados, enforcados, assados, asfixiados, ensopados, torrados, decapitados, chamuscados, espetados, esburacados, esfumaçados, esfaqueados, cozidos e carcomidos, ingredientes de uma estranha alquimia que transformará ouro (…vida) em chumbo! ( … façam a imagem que desejar!)

E uma amiga escreveu ironicamente sobre “comemorar”.
Sim, comemorar o quê, eu pergunto, quando deveríamos lamentar?!  Deveríamos ir às ruas e escancarar o horror, o massacre, e denunciar este verdadeiro holocausto animal!

“Hum, mas este cordeiro está muito macio!!”
Pudera! Após uma sequência de facadas, torções e fraturas expostas, era de se supor que ficasse nesse estado! Uma criança submetida a um tratamento idêntico ficaria igualmente “apetitosa”, eu suponho!

Ah, e as orações?
Sim, fazemos pedidos e orações ao Senhor!
Senhor, nos proteja!
Senhor, não nos abandone!
Senhor, livrai-nos de todo mal
Senhor, salve as nossas vidas!

E o mundo vai muito bem obrigado!

Mas a “má” notícia é que… Jesus não é um Pateta!!!!!!!!!!
ELE sabe o que vai acontecer no dia do seu aniversário!
Quer apostar?

“Temo pela minha espécie quando penso que Deus é justo.”
(Thomas Jefferson)

********************

Paulo Fradinho é animador, ilustrador, cartunista e ator
Participou de inúmeras produções nacionais e internacionais, inclusive para Mauricio de Sousa Produções e Walt Disney Animation Studios
Seu trabalho mais recente, em  A Princesa e o Sapo, dos Estúdios Disney (2009)
pode ser visto nos cinemas. Ativista pelos Direitos dos Animais, e membro da ong VEDDAS – Vegetarianismo Ético, Defesa dos Direitos dos Animais e Sociedade / São Paulo – SP
Paulo Fradinho é vegetariano desde o nascimento (1959 ) mas hoje é adepto do veganismo.

[email protected]
http://paulofradinho.multiply.com/journal
www.veddas.org.br

1 COMENTÁRIO

  1. Que texto maravilhoso, Paulo, parabéns! Vou repassar aos amigos, especialmente aos “compadecidos carnívoros” e imagino que me odiarão para todo o sempre. Paciência. Radical, como já disse alguém é o que a humanidade faz com os animais e a aceitação disso. Se sou radical por me opor a isso, então, sem problemas. Um abraço, Adriane

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui