Ano novo, vida nova!


Para variar, nessa hora, como em todas as horas, penso nos animais. E no quanto eles dependem de nós, humanos, para resgatarem seu inerente direito à vida, para terem suas necessidades respeitadas – como indivíduos e como espécies – para poderem viver e morrer mais naturalmente, sem tanto sofrimento, sem o sofrimento imposto por nós.

Quanto mais penso nisso, mais estranho me parece. Quem somos nós, irmãos humanos, para determinar a vida e a morte de irmãos de outras espécies, muito mais antigas que nós e que dividem conosco a “sua” terra? Quem somos nós para determinar a vida e a morte de quem quer que seja?
Como podemos nós, ainda, participar e apoiar as crueldades da exploração que pessoas menos esclarecidas infligem sistematicamente a esses seres dignos, delicados e pacíficos?

É preciso que sejamos insensíveis, cegos, surdos e terrivelmente egoístas para não perceber o clamor que vem do alto, permeando o ar que respiramos: acordem… olhem o que estão fazendo com vós mesmos, com vossa Mãe primeira, com vossos irmãos animais e perguntem-se: por quê?

Por que tornamo-nos seus carrascos? Por que fazemos com eles o que abominamos que se faça a outros ou a nós mesmos? Porque não enxergamos com os olhos da alma seu sofrimento, sua dor, sua humilhação. Tudo isso pode parar no momento em que decidimos: chega! Nunca mais quero participar disso.

Ano novo, vida nova.

Nina Rosa

Fonte: Instituto Nina Rosa


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

APELO

RECOMEÇO

BARBÁRIE

SEGUNDA CHANCE

INSPIRAÇÃO

DESCARTE IRRESPONSÁVEL

BOA AÇÃO

CHINA

HEROÍNA

FINAL FELIZ


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>