Promotoria do Meio Ambiente de Rio Preto (SP) indefere investigação sobre maus-tratos


Freewillie
adalberto@prosinal.com.br

Os protetores dos animais de São José do Rio Preto, noroeste do estado de SP, estão perplexos diante da atitude Promotor de Justiça responsável pelo Meio Ambiente naquela cidade.

Isso porque aquele que deveria tutelar os animais fez exatamente o contrário, indeferindo o pedido de abertura de Ação Civil Pública, que visaria uma ampla investigação sobre as denúncias de abuso contra animais usados em experimentos na FAMERP – Faculdade de Medicina de Rio Preto.

As Associações FAUNA e ARPA formularam a representação depois de terem sido impedidas de continuar participando das reuniões do chamado Comitê de Ética em Experimentação Animal.

Elas apontam diversas irregularidades como o não uso de anestésicos em experimentos dolorosos, pesquisadores julgando e aprovando seus próprios projetos, fornecimento de animais pelo biotério sem qualquer registro e muitas outras.

Do outro lado, os pesquisadores defendem-se alegando serem profissionais capacitados para realizar os experimentos.

Após o indeferimento do Promotor Carlos Romani, as Associações já se mobilizaram e ingressaram com recurso junto ao Conselho Superior do Ministério Público, na Capital, esperando retomar o amparo e o acesso aos animais sob a guarda dos pesquisadores.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ASFIXIA

ATO DE AMOR

GENEROSIDADE

MOÇAMBIQUE

ÍNDIA

MINAS GERAIS

ESTUDO

CONSUMO CONSCIENTE

PROTEÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>