Jane Goodall diz que novo santuário espanhol é “quase um céu para os primatas”


Por Raquel Soldera (da Redação)

A naturalista britânica Jane Goodall, uma lutadora a favor dos chimpanzés, que recebeu o prêmio Príncipe de Astúrias de Investigação em 2003, afirmou que o centro de recuperação de primatas, inaugurado nesta terça-feira (24) em Villena, na Espanha, é para os animais “quase como ir ao céu”, depois de tudo “o que sofreram”.

Jane Goodall e um dos chimpanzés do centro de recuperação. (Imagem: EFE/ABC.es)
Jane Goodall e um dos chimpanzés do centro de recuperação. (Imagem: EFE/ABC.es)

Goodall fez essas declarações na inauguração oficial do santuário de primatas, uma iniciativa da fundação holandesa para a Acolhida de Animais Exóticos Primadomus (AAP). Para a britânica, a construção do santuário de primatas é um “claro exemplo” de que existem pessoas que “lutam até o final” e que “não se rendem” em defesa destes animais, que vivem em situações de abandono nos zoológicos, circos e criadores particulares da Europa.

A também embaixadora do Ano do Gorila 2009 alertou sobre todos os filhotes de chimpanzés que ficaram órfãos na África, onde existe um problema “grave” de perda de seu habitat.

Além disso, Goodall, que, apesar de no próximo ano completar 50 anos do início de suas observações em Gombé (Tanzânia), disse que “ainda se aprendem coisas maravilhosas sobre os chimpanzés”, que são, em sua opinião, “as criaturas que mais se parecem com os seres humanos”.

Por isso, convidou toda a população, em especial os jovens, a se mobilizarem por “um mundo melhor”, visto que as pessoas, “como seres humanos”, não estão “separadas do reino animal”, mas sim que são “parte dele”.

Durante a inauguração, que também contou com a presença de representantes municipais e de outras organizações, o diretor da AAP, David van Gennep, explicou que a fundação holandesa realizará um acompanhamento dos animais no santuário de Villena, para que voltem a ter “uma vida digna”.

Com a inauguração do centro de recuperação, a AAP tem o objetivo de aumentar o apoio a instituições governamentais na Europa e ajudar na implementação de leis relativas ao bem-estar animal. Van Gennep disse que a solução para o problema que vivem os chimpanzés na Europa está “na legislação europeia”, para que proteja “tanto os indivíduos como a espécie em si”.

Depois de anos de trabalho e preparação, o centro de recuperação oferecerá uma residência permanente para chimpanzés e outros primatas que necessitam de um lugar para ficar. O santuário de Villena, com 67.750 m2, é um espaço adaptado para que os chimpanzés possam disfrutar de paz e espaço para correr, reaprendendo comportamentos naturais esquecidos pelos anos de maus-tratos em confinamento.

No local está prevista a instalação de nove recintos de 7.000 m2 cada um, segundo a diretora do santuário, Olga Martín, onde podem ser abrigados até 150 primatas.

Atualmente o santuário dispõe de um recinto e abriga dez chimpanzés, conhecidos como “o grupo de Donkey”, que chegaram dia 4 de novembro de Almere, na Holanda, resgatados de circos, zoológicos e de criadores particulares.

Com informações de EFE, ABC.es e Anima Naturalis


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

HABITATS DESTRUÍDOS

TRISTEZA

AVANÇO

ESTELIONATO

MALDADE

ESTADOS UNIDOS

FEBRE AMARELA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>