Ministério holandês está mais preocupado com as relações diplomáticas do que com a matança das baleias


Por Karina Ramos (da Redação)

A organização ambientalista internacional Sea Shepherd pode perder uma de suas armas mais importantes na batalha contra a caça de baleias. A organização navega com uma bandeira holandesa. Porém, um membro do ministério holandês não está contente com isso. A ministra dos Transportes, Tineke Huizinga, disse que a Sea Shepherd está colocando em perigo as relações com o Japão. A ministra pode fazer o grupo perder a bandeira holandesa.

De acordo com Geert Vons, diretor geral da Sea Shepherd da Holanda, a organização age porque ninguém mais faz o mesmo:

“Não acho que a Sea Shepherd use a violência. Mas o que eu gostaria de dizer é que os animais estão teoricamente protegidos por leis e regulamentações internacionais, mas na prática eles não estão protegidos sob forma alguma. Essa questão da caça de baleias é um exemplo forte. O Japão caça nas bordas de um santuário internacionalmente reconhecido, estabelecido pela Comissão Baleeira Internacional em 1994. A Sea Shepherd tenta impedir que os navios matem as baleias.”

Pressão diplomática

Os protestos da Sea Shepherd contra os caçadores de foca do Canadá e baleeiros japoneses envolvem confrontos. No Canadá, um segundo navio de protesto está retido por atrapalhar a caça anual de focas.

A ministra dos Transportes não quer mais o navio da Sea Shepherd navegando com a bandeira holandesa. Ela quer uma mudança na Lei de Registro de Certificados de Navios. Se um navio com bandeira holandesa causar prejuízos em outro navio ou puser em risco as relações diplomáticas, esse navio perde o direito de usar a bandeira holandesa.

De acordo com o professor Fred Soons, um especialista em leis marítimas, a Holanda não tem alternativa:

“O Japão deve exercer controle efetivo sobre seus navios e evitar o envolvimento em atividades ilegais. Assim como a Holanda tem que exercer um controle efetivo como o Estado cuja bandeira a Sea Shepherd usa para navegar.”

O Japão diz que caça baleias para a pesquisa científica, o que todo mundo sabe que é uma falsa e insensata desculpa usada por eles. Cerca de mil baleias minke, baleias azuis e cachalotes são assassinadas todo ano. A Sea Shepherd se opõe à caça e faz referência aos direitos das baleias defendidos na “Carta Mundial da Natureza” das Nações Unidas, que permite que as ONGs ajam para proteger as espécies naturais.

Enquanto isso, a Sea Shepherd está prestes a embarcar em uma nova campanha contra a caça de baleias. A organização diz que é importante tomar cuidado. “Mas vamos em frente. Isso é certo”, dise Geert Vons. Ainda não está claro o que os japoneses pretendem fazer: “Talvez eles decidam não caçar dessa vez. Nunca se sabe. Mas com certeza a Sea Shepherd nunca vai parar até que a caça ilegal termine.”

A campanha contra a caça nas águas da Antártida começa em dezembro.

Assista, aqui, a um vídeo gravado durante uma ação liderada pela Sea Shepherd contra a caça às baleias:

 

Fonte: Animal Concerns


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TRAGÉDIA

RETROCESSO

SOFRIMENTO

DIFICULDADES FINANCEIRAS

BELO HORIZONTE (MG)

COVARDIA

CRUELDADE

PROTEÇÃO ANIMAL

ALERTA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>