Por Joana Bronze (da Redação)

Até hoje, a violência doméstica, a agressão sexual e o abuso infantil não foram  correlacionados à violência contra os animais. Porém muitos intelectuais, como Schopenhauer e Kant, concluíram haver uma ligação entre a crueldade contra os animais e a violência dirigida a humanos. E, de fato, um número crescente de estudos sugere que os indivíduos que cometem atos de crueldade contra os animais raramente param por aí. Abuso animal é um sinal de alerta para comportamento violento grave em outros âmbitos no futuro.

Correlação

Embora seja emocionalmente desafiador discutir a tendência de prejudicar animais inocentes ao lado de vítimas humanas, é importante reconhecer a correlação entre os dois, porque os animais são parte da maioria das famílias.

Segundo a Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra os Animais (ASPCA), animais de estimação fazem parte da família em cerca de 75% dos lares americanos. A sociedade observa que as famílias americanas têm mais animais de estimação do que filhos.

Além disso, especialistas em crueldade contra os animais sugerem que pelo menos 70% das mulheres que procuram apoio para a violência doméstica tenham testemunhado crueldade (e até assassinato) contra seu animal de estimação.

Vítimas e seus animais de estimação não são os únicos afetados diretamente pela violência doméstica que acontece em seus lares. Assim, também as crianças são testemunhas de uma grande quantidade de violência contra seus animais de estimação.

As crianças estão presentes na grande maioria das casas com animais. A Sociedade do Bem-estar animal Progressivo (tradução livre para  Progressive Animal Welfare Society – PAWS) informa que mais de 80% das famílias com histórico de abuso infantil também estavam envolvidos com abuso animal. Em cerca de dois terços dos casos, o pai, agente do abuso, matava ou feria o animal de estimação. Em um terço dos casos, uma criança que foi vítima continuou o ciclo de violência abusando de animais.

Vulneráveis, indefesos

O que torna os animais tão atraentes para os autores de abuso? Geralmente, é porque os animais são vistos como vulneráveis e indefesos por abusadores, e simplesmente funcionam como alvos fáceis.

E, mais do que isso, os animais servem muitas vezes como o único amigo ou são mais valiosos do que uma relação humana da vítima. Abusadores são capazes de reconhecer isso, e usam os animais de estimação como alvo para arrasar e isolar suas vítimas humanas.

A Humane Society dos Estados Unidos concluiu que a crueldade contra animais muitas vezes funciona como uma ferramenta dos abusadores para:

• demonstrar e confirmar o poder e controle sobre a família;

• isolar a vítima e os filhos;

• eliminar competição pela atenção;

• força da família para manter violência em segredo;

• retaliar atos de independência e autodeterminação;

• perpetuar o quadro de terror;

• evitar a fuga da vítima ou coagi-la a voltar;

• punir a vítima;

• intimidação, controle emocional e coerção.

Ameaçar, ferir ou matar animais indica um alto potencial de violência ou letalidade. A crueldade animal é uma das muitas notáveis “bandeiras vermelhas” que servem como um alerta para a crescente violência e perigo.

Com informações de Dunn County News

1 COMENTÁRIO

  1. Violência só pode gerar violência.
    Um ser humano que aceita também como trabalho profissional o assassinato de animais nos matadouros não pode ser uma pessoa normal. Não se envolver emocionalmente com vidas inocentes que querem viver; aceitar pagamento para matar diariamente… Também é uma forma de estimular a violência fora dos matadouros.

  2. a psicopatia conta com tais relatos; quase todos serial-killers investiram sua fúria assassina em animais. Aliás, costumam a ser suas primeiras vítimas. Quando não conseguem, seja a razão que houver para impedir, atingir pessoas, repetem sua crueldade contra animais.

    E o pior: eles precisam comenter tais atos para sentirem-se plenos. Um horror!

  3. Psicopatas matam animais na infância ou depois de adultos, com ares de violência desnecessária, porque são doentes. Não é o fato de matarem animais que os tornam psicopatas. Eles os matam porque já o são. Por outro lado , é difícil haver um garoto, na zona rural, que nunca matou lebres, pássaros e outros e nem por isto são todos doentes.Mas o aviso das entidades como esta é bom, pois detectando a violência contra animais, detecta-se a possibilidade da mesma contra humanos.