PETA busca apoios para resgatar tigres e elefantes explorados pelo circo Ringling Bros


Por Adriane R. de O. Grey  (da Redação – Austrália)

Desde seu recente vídeo investigativo sobre o Ringling Brothers and Barnum & Bailey Circus, divulgado em 22 de julho de 2009, o PETA vem difundindo maciçamente as imagens captadas nos bastidores daquele a que chama o “espetáculo mais triste da terra”. O vídeo apenas comprova o mau tratamento dado pelo circo a seus elefantes e tigres, já denunciado há 10 anos às autoridades norte-americanas (https://www.anda.jor.br/?p=13189) e o PETA agora o está divulgando também para companhias que têm parceria comercial com o Ringling Bros.

Elefante foi uma das vítimas de maus-tratos do circo (imagem: Peta Files)
Elefante foi uma das vítimas de maus-tratos do circo (imagem: Peta Files)

A intenção do PETA é dissuadir estas companhias de dar ao circo apoio ou visibilidade por meio de campanhas que promovam sua imagem, deixando o Ringling Brothers and Barnum & Bailey Circus numa situação de isolamento que retrate a desaprovação do uso de animais em sua empresa de entretenimento pela sociedade norte-americana. O objetivo maior é mostrar à Justiça Federal dos Estados Unidos o descontentamento de seus cidadãos com o tratamento que os animais recebem no circo, pressionando-a a condenar a companhia por meio de uma sentença esperada desde o fim de seu julgamento em março de 2009.

No início de agosto, o PETA contatou a Zara, uma cadeia internacional de lojas de roupa feminina com mais de 1.300 unidades em todo o mundo, que, então, vendia camisetas com o logotipo do Ringling Bros. O PETA relatou à sua empresa matriz, a Inditex, a investigação conduzida e as provas recolhidas do tratamento sórdido e negligente recebido pelos elefantes e tigres usados nos espetáculos do circo e pediu à companhia que parasse imediatamente de vender os produtos promovendo a imagem do Ringling Bros em suas lojas. A Inditex, no entanto, não valorizou o relatório e continuou comercializando as camisetas com a estampa do circo. O PETA, então, pediu o apoio de seus ativistas e simpatizantes que enviaram centenas de e-mails à empresa. No dia 14 de agosto, divulgou-se que as lojas Zara tirariam de suas prateleiras as camisetas que promoviam o Ringling Bros. Um pequeno passo, mas uma grande vitória.

No final do mesmo mês, o PETA abordou outra loja de roupas, a Delia’s, famosa por ser muito popular entre adolescentes e jovens adultos nos Estados Unidos. Delia’s também estava vendendo camisetas com estampas promocionais do Ringling Bros. e, como fez anteriormente com as lojas Zara, o PETA expôs sua investigação e pediu a retirada das camisetas de seus estabelecimentos. Respondendo da mesma maneira que as lojas Zara, Delia’s recusou-se a interromper a venda do produto. Ativistas e simpatizantes mobilizaram-se e escreveram para a empresa que, no dia 8 de setembro, anunciou que não só retiraria as camisetas com o logotipo do circo de suas prateleiras, como também de sua página na internet e de seu catálogo de outubro. Mais outro pequeno passo dado nesta caminhada que já leva 10 anos.

O PETA agora direciona seus esforços para negociar com a Pizza Hut que, durante alguns meses, ofereceu entradas para o circo com desconto para seus clientes nas suas lojas da Califórnia. Alegando que a promoção havia encerrado quando foi abordada pelo PETA, a companhia, na verdade, manteve-a até o dia 30 de agosto em pelo menos quatro de seus estabelecimentos. O PETA faz um apelo à Pizza Hut para que a empresa comprometa-se a nunca  mais promover o circo e convida novamente seus simpatizantes a escreverem ao seu presidente, Scott Bergren, afirmando que estabelecer uma parceria com o Ringling Bros. é o mesmo que apoiar a crueldade com animais.

Há inúmeras lojas da Pizza Hut no Brasil e certamente correspondências remetidas por brasileiros serão consideradas com algum cuidado por Bergren. Se você quiser participar, acesse a página https://secure.peta.org/site/Advocacy?cmd=display&page=UserAction&id=2387 e mande seu protesto.

Se você quer ajudar mais, acesse a página http://www.ringlingbeatsanimals.com/default.asp, veja o que você ainda pode fazer abaixo do subtítulo More ways to help.

Todos estes pequenos passos deixam os animais do “espetáculo mais triste da terra” um pouco mais perto da possibilidade de serem transferidos definitivamente para um santuário onde possam viver o que resta de suas vidas com liberdade e dignidade.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TRAGÉDIA

RETROCESSO

SOFRIMENTO

DIFICULDADES FINANCEIRAS

BELO HORIZONTE (MG)

COVARDIA

CRUELDADE

PROTEÇÃO ANIMAL

ALERTA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>