Saiba como evitar atropelamentos de animais que atravessam a pista


A morte do cavalo atropelado pelo motorista Thiago Mansano, de 24 anos, na madrugada desta segunda-feira (24) na Avenida Brasil, no Rio de Janeiro, pode ser evitada com a prática da direção defensiva.

Confira abaixo as dicas da Autoban, Centro de Formação de Condutores Volante e Polícia Rodoviária Federal:

O primeiro passo para evitar o atropelamento de um animal que atravesse a pista é tentar reduzir a velocidade. No entanto, observe antes pelo retrovisor se o carro que vem atrás está a uma distância segura.

Para evitar que o animal se assuste, tente ultrapassá-lo por trás, diminuindo assim a velocidade de reação. Evite buzinar ou acender o farol alto para não correr o risco de o animal ir contra a direção do carro.

Durante a ultrapassagem, feche os vidros, passe lentamente pelo animal em marcha reduzida. Depois, alerte alerte os outros carros piscando os faróis e avise o posto policial mais próximo.

É importante também ficar atento às vias que têm canteiros centrais, como estradas e marginais. Redobre a atenção quando há placas indicando a existência de animais silvestres na região.

Além disso, em qualquer situação, o motorista deve sempre manter uma distância segura do veículo da frente, respeitar os limites de velocidade da via e fazer revisão periódica do veículo, com atenção redobrada às condições de faróis e freios. E sempre use o cinto de segurança.

Animais procuram se aquecer no asfalto

De acordo com o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, André Luiz Azevedo, as estatísticas apontam para um aumento de acidentes de carro envolvendo animais nessa época do ano.

“O animal busca o asfalto, que é mais quente do que a mata, e muitas vezes deita no asfalto. Como a maioria das estradas não têm iluminação, cria-se um cenário de perigo. O motorista tem que redobrar a atenção”, alerta ele.

Estatísticas

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), só nos primeiros quatro meses deste ano foram 30 acidentes semelhantes em rodovias do estado do Rio e 195 animais apreendidos na pista. Na Avenida Brasil, segundo a Polícia Militar, foram registrados outros três acidentes este ano.

Nas estradas federais do Rio, avisa Azevedo, há maior incidência em alguns lugares do interior do estado (70%). De acordo com as estatísticas da PRF, em 2008, a BR-040, que liga o Rio à Região Serrana, conhecida como Rodovia Washigton Luís, foi a recordista de apreensões de animais, com 23 ocorrências.

Punição

Os responsáveis pelos animais podem ser punidos. Nas vias administradas pelo estado ou município, segundo a Polícia Militar, o caso é registrado na delegacia e uma investigação é aberta para que o guardião responda por abandono de animal.

Já nas áreas sob responsabilidade da PRF, quando apreendido, o animal recebe uma marca e os responsáveis pagam multa. Se o mesmo guardião tem um animal apreendido mais de um vez, ele perde o animal.

Com informações de G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO SONORA

MAUS-TRATOS

DEBILITADO

DECISÃO JUDICIAL

INSPIRAÇÃO

DENÚNCIA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>