Franquia de animais é fechada após denúncias de crueldade contra animais


Por Adriane R. de O. Grey  (da Redação- Austrália)

Se você ainda não assinou a petição que pede à Corte Municipal de Akron a punição mais rigorosa possível à ex-empregada da franquia local da Petland, Elizabeth Carlisle, que afogou deliberadamente dois coelhos naquela cidade no dia 28 de julho acesse o care2.

Carlisle publicou uma foto sua no Facebook, sorrindo e segurando pelo cangote dois coelhinhos encharcados e recém assassinados por ela. A mórbida gerente da loja registrou a imagem revoltante.

Comentários de Carlisle indicam que a falta de cuidado dispensada aos coelhos sob sua custódia teria permitido que eles se atacassem e devorassem mutuamente e, por isso, teriam ficado feridos.

Depois de ser avisado da existência da foto, o PETA pediu à empresa Petland que investigasse o incidente em sua franquia e pressionou pelo estabelecimento de um processo criminal, pela revisão dos procedimentos e padrões de tratamento e eutanásia dos animais doentes ou feridos sobre custódia de suas lojas e pela cessação da venda de coelhos.

 Logo depois, a franquia de Akron foi permanentemente fechada pela Petland que declarou que nenhum funcionário que trabalhe para a rede tem a permissão de usar qualquer método para fazer eutanásia em animais, que devem ser diagnosticados e tratados pelo veterinário que atende cada um de seus estabelecimentos conforme noticiou o North Country Gazette.

É um começo, reconhece a Care2. No entanto, acrescenta, a Petland ainda precisa assegurar-se de que nenhum abuso volte a ocorrer em suas lojas espalhadas por todo o país. A empresa não deveria vender animais: é evidente que seus funcionários não podem cuidá-los ou supervisioná-los adequadamente.

A Petland já foi repetidamente acusada de vender filhotes adquiridos em fazendas de criação de filhotes, embora argumente que só compre bebês de criadores sérios, se é que alguém que seja ciente de que 3 a 4 milhões de animais são mortos pelos CCZs e abrigos anualmente e que continue criando animais possa ser chamado de sério.

 Além de assinar a petição, pode-se requerer à empresa o término imediato da venda de filhotes por meio do link: http://www.helpinganimals.com/Automation2/AlertItem.asp?id=2875 .

Elizabeth Carlisle está sendo processado por dois crimes de crueldade animal e deve comparecer ao Tribunal de Justiça de Akron no próximo dia 17 de agosto.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AÇÃO SOCIAL

PRECAUÇÃO

ÍNDIA

ESTUDO

ÓRFÃO

ARTIGO

DESACATO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>